Cena deletada de Era Uma Vez em Hollywood pode ser uma das melhores de Tarantino

Era Uma Vez em Hollywood (Reprodução)

Depois de assistir à Era Uma Vez em Hollywood, o filme mais recente de Quentin Tarantino, fica difícil imaginar que as cenas espetaculares protagonizadas por Brad Pitt e Leonardo DiCaprio podem não ter sido as melhores do longa. Segundo o ator Damon Herriman, provavelmente o melhor momento acabou no chão da sala de edição.

Damon, que interpretou o legendário criminoso Charles Manson, afirmou em entrevista que entre as cenas deletadas do longa está uma sequência que ele acredita ser uma das melhores da carreira de Tarantino. A sua breve participação foi motivo de críticas daqueles que esperavam que o homem que mandou assassinar Sharon Tate teria uma presença mais robusta no enredo.

Não houve muitas outras cenas [do Manson, que foram cortadas], mas um filme cuja primeira versão tinha 4 horas e 20 minutos com certeza precisou perder muita coisa. Todo mundo perdeu alguma coisa, incluindo algumas coisas do Manson. Eu não posso dizer o quê, mas era um dos melhores textos do Quentin. Uma cena em particular era brilhantemente escrita”, contou ele.

E mais: “Tinha uma cena que pra mim é uma das melhores que eu já li na vida, apenas uma página, e eu espero que essa cena seja lançada. Eu genuinamente não sei se um dia será”, completou, lembrando a tendência de Tarantino de revisitar seus filmes e lançar versões mais longas e completas.

Desperdício

Confirmando ainda mais as afirmações de Herriman, que também interpretou Manson na série “Mindhunter”, o produtor David Heyman revelou que uma cena em particular, estrelada pela atriz mirim Julia Butters, teria chamado a atenção da Academia: “O Quentin é adepto de deletar grandes cenas. Se tivesse sido mantida, [a Julia] ganharia uma nomeação ao Oscar por aquela performance”.

Como a esperança é a última que morre, o diretor tem planos de produzir uma série inspirada no universo de “Era Uma Vez em Hollywood“, e quem sabe, o público possa finalmente conferir esse e outros tesouros perdidos.

Cresceu vendo filmes ao invés de brincar na rua. Fã de ir ao cinema sozinha. Críticas e notícias sobre o mundo do entretenimento.