Alguém me segura. Ou me dá o nome do remédio que deram para ele.

Depois de três décadas de respostas negativas, recusas, de sonhos (dos fãs) destruídos e irritação de nossa parte por ter que escrever sobre esse tema por anos, parece que Bill Murray está disposto a ceder e ter um pingo de boa vontade (e um salário muito maior) para aparecer em Caça-Fantasmas 3, sequência planejada por Jason Reitman.

 

 

O velho Bill pode estar de volta

 

 

Bill Murray se desligou da franquia depois do fracasso de Caça-Fantasmas 2, o que tornou praticamente impossível um terceiro filme sem o seu emblemático Peter Venkman. Porém, nas últimas horas, o ambiente de Cannes pode ter afetado a mente do ator, que se mostrou agradecido pelo filme que ajudou a pagar o colégio dos seus filhos, e deixando as portas mais que abertas para a sua participação no terceiro filme.

Murray também destacou que a sua conexão com a franquia estava determinada pela sua relação com os atores do filme original (Dan Aykroyd, Ernie Hudson, Harold Ramis (falecido), Rick Moranis e Annie Potts), em um ambiente de interação e colaboração completa.

Também deixou claro que o seu problema está com a Sony, que afirmou que não podiam fazer outro filme por que ele (Murray) não mudava o que afirmou em 1984. Algo que ele nunca disse, e o segundo filme veio de qualquer maneira.

Por fim, Murray confirmou que apareceu em As Caça-Fantasmas de Paul Feig por causa de sua amizade com Kate McKinnon e Melissa McCarthy, uma vez que as duas compartilham da mesma raiz de humor dele no Saturday Night Live, realizando um salto similar para projetos cinematográficos.

Insisto: não sei se foi o ar de Cannes ou se foi o remedinho que deram para ele (que eu ainda quero saber qual é o nome). Mas temos um dos maiores plot twists de 2019 e, quiçá, dos últimos 35 anos. No mínimo.

 

 

Via IndieWire

Comentários

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui