Hannibal tinha uma excelência em exibir formas de assassinatos visualmente chamativas. Bryan Fuller trabalhava lado a lado com a vice-presidente da NBC, Joanna Jamerson, para encontrar formas novas e mais espantosas para mostrar a loucura do protagonista.

Porém, uma dessas mortes foi longe demais, e ficou de fora da primeira temporada. Fuller revelou como foi essa morte, publicando inclusive uma ilustração que mostrava a selvageria em questão.

Até mesmo o cortar de garganta e arrancar a língua foi mais aceitável para a TV do que a cena que virá a seguir. Gideon iria atrair a jornalista Freddie Lounds para o escritório de um psiquiatra e, ao acender a luz da sala, ela ativaria um ventilador de teto que continha os intestinos de um médico ainda vivo.

 

 

“Essencialmente, ele o destripa com o giro do ventilador. Porém, o problema é que a NBC teve com esse tipo de morte foi a premissa, já que eles não sabiam como eles iriam se permitir produzir economicamente esse truque, já que são intestinos girando rapidamente em um ventilador de teto.”, afirmou Fuller.

Tenso. Muito tenso…

 

Via EW