Desde o início das denúncias de casos de assédio, abuse e outras condutas nocivas de índole sexual em Hollywood, Asia Argento foi um dos rostos mais determinantes na denúncia coletiva, e uma das cabeças do movimento conhecido como #MeToo.

Porém, o The New York Times revela que a atriz e diretora, cujo testemunho e revelações foram essenciais para colocar Harvey Weinstein atrás das grades, chegou a um acordo judicial e financeiro para obter o silêncio do músico e ator Jimmy Bennett, que garante que Argento abusou sexualmente dele quando ele ainda era menor de idade.

Segundo Bennett, os supostos abusos aconteceram em 2013, quando o ator tinha 17 anos de idade, em um hotel da Califórnia (estado onde a idade legal para o consentimento sexual é 18 anos). Argento, na época com 37 anos, teria agredido sexualmente ao menor em uma experiência que, segundo os advogados de Bennett, “foi traumática para o seu cliente”, afetando a sua trajetória profissional. A indenização solicitada foi de US$ 3.5 milhões.

 

 

Os fatos foram corroborados pelo jornal através de documentos enviados para a sua redação por um informante anônimo, via e-mail encriptado. Entre outros arquivos cuja autenticidade é corroborada por terceiros próximos ao caso, tem uma selfie de Argento e Bennett em uma cama, com data de 9 de maio de 2013.

A suposta agressão teria acontecido nessa data no hotel Ritz-Carlton, depois que Argento peidou para um familiar de Bennett que abandonasse o quarto onde o ator estava hospedado. Argento deu álcool ao jovem de 17 anos, para depois beijá-lo, empurrá-lo sobre a cama, praticar o sexo oral e manter relações sexuais completas.

Mais tarde, nesse mesmo dia, Argento enviou para a sua conta do Instagram a foto, onde fala de um encontro com Bennett “no dia mais feliz de sua vida”, adicionando que “Jimmy estará em meu próximo filme, e isso é um feito”. Esse post, além de outros que incluíam fotos do casal com as costas desnudas no quarto do hotel, foram anexadas no processo pelos advogados de Bennett.

 

 

Diante da notificação enviada pelos representantes judiciais de Bennett pouco depois do estouro do caso Weinstein, Argento concordou em pagar US$ 380 mil para evitar o processo. O valor seria pago ao longo de um ano e meio, em uma série de pagamentos que começaram com uma primeira parcela de US$ 200 mil, que foi paga no último mês de abril.

Por enquanto, tanto Argento como Bennett, que trocaram mensagens e interações nas redes sociais depois do incidente e que se conheceram quando ele tinha 8 anos durante as filmagens de um filme dirigido e protagonizado por Agento (onde Bennett interpretava o filho de sua suposta agressora), se negam a comentar o assunto.

 

Via The New York Times