Seguimos com as nossas listas de melhores e piores de 2017. Nesse post, mostramos as escolhas do TVLine para as 10 melhores séries de comedia do ano.

Podemos dizer que, na lista, temos lições atemporais, comedias datadas e gente com muita música no coração. Detalhe: apenas duas séries escolhidas em 2017 também estavam em 2016, o que indica claramente que estamos em um momento de mudança e transformação no gênero.

Sem mais delongas, lista a seguir.

10. BIG MOUTH

Uma das animações mais honestas que você pode encontrar em 2017. Com um elenco soberbo (incluindo uma Kristen Wiig como uma vagina falante), histórias insanas e números musicais matadores, você terá muito amor por essa série ao final da temporada na Netflix.

9. THE GOOD PLACE

A comedia com criatividade metafísica da NBC deu um show na sua primeira temporada, e seu plot twist deu a chance para Ted Danson brilhar. A segunda temporada, explorando os diversos planos de Michael entregou uma comedia de situação fina e surpreendentemente emocional.

8. WILL & GRACE

Recordar é viver, e quando uma série é boa de nascença, o seu revival se torna uma das melhores da temporada. Eric McCormack, Debra Messing, Sean Hayes e Megan Mullally voltaram ainda melhores e mais dominantes na arte de fazer rir em equipe, e seu roteiro ácido e atual mostram que a decisão de já renovar a série para a décima temporada estava mais do que certa.

7. GIRLS

Independente do que você pensa sobre Lena Dunham e essa série (eu mesmo detesto), temos que admitir que a dramedia da HBO chegou ao fim tal e como começou: fantástica para alguns, frustrante para alguns outros tantos.

6. THE MARVELOUS MRS. MAISEL

Uma série do Team Palladino, ambientada na década de 50, com riquesa de detalhes (até mesmo no trabalho de câmera), e contando com o (quase) ilimitado orçamento da Amazon. A cereja do bolo é a bela performance de Rachel Brosnahan. O resultado? A melhor série da Amazon desde Transparent.

5. CRAZY EX-GIRLFRIEND

A comedia musical da CW luta pela sobrevivência, com uma audiência medíocre. Mas conseguiu oferecer um grande cliffhanger no final da segunda temporada, abordando de vez os problemas psiquiátricos de Rebecca. E tudo isso com um flashback no estilo dos anos 80. Como não amar?

4. BETTER THINGS

Tudo bem, essa série tem o elefante na sala chamado Louis C.K. como co-reador (ele não vai mais se envolver com a série). Mas foi Pamela Adlon quem moveu as fichas da produção, dirigindo todos os 10 episódios da temporada, e exibindo um duro retrato de mãe solteira, diferente de tudo o que vimos na TV, fazendo rir e chorar em vários momentos.

3. MASTER OF NONE

A comedia de Aziz Ansari para a Netflix teve uma aclamada primeira temporada, e sua ainda mais ambiciosa segunda temporada de 10 episódios tratou de vários temas sensíveis, como religião, cultura de aplicativos de encontro e assédio sexual no trabalho. Mostra a maturidade de Ansari como ator e idealizador.

 

2. GLOW

Tinha tudo para ser uma bagunça: uma série sobre a luta livre feminina nos anos 80 enquanto um diretor de filme B deixava tudo ainda mais bizarro. Mas com um elenco liderado por Allison Brie mostrando humor e coração na tela, nós realmente compramos essa proposta de fake sport, e queremos ver mais disso na segunda temporada.

1. INSECURE

A segunda temporada da dramedia de Issa Rae na HBO não foi “apenas OK”. Foi “boa pra caramba”. Com direito a alguns momentos com um “Oh, não, eles não fizeram isso…” acompanhado de gargalhadas. Mas sem deixar de lado os momentos mais emocionais. Mostrava problemas e soluções com a mesma sensibilidade.