“Foi uma decisão difícil (…), mas foi pensado no melhor para Arrow”.

Foi com essas palavras que, em comunicado, Greg Berlanti, Marc Guggenheim e Beth Schwartz comunicaram que a oitava temporada de Arrow, anunciada há pouco tempo pelo canal CW, será a última.

Logo, a temporada 2019/2020 será aquela que marca a despedida do personagem e da série, em uma encomenda de 10 episódios. Aqui, chega ao fim a primeira das séries de heróis da DC na CW, a pedra inaugural do universo compartilhado que, de forma informal, chamamos de Arrowverso, e que impulsionou o lançamento de um bom punhado de séries de heróis.

Por outro lado, a verdade é que já se percebia que Arrow estava a caminho do fim. Os roteiristas davam sinais de cansaço, e cada vez custava mais para manter o ritmo e uma narrativa convincente. E esse processo se refletia no interesse da audiência, que naturalmente estava caindo com o passar dos anos.

A sétima temporada inclusive mostra bem isso, com flashbacks que cada vez tem menos sentido, e flashfowards que mostra uma cidade caída e um grupo de novos personagens que tentam reconstruir o cenário estabelecido.

Stephen Amell (Oliver Queen), declarou no Twitter que interpretar o herói verde foi “a maior experiência profissional da minha vida, mas você não quer ser um vigilante para sempre.”, e confirmou os últimos 10 episódios de Arrow para a próxima fall season.

Tudo nessa vida tem um final, e o fim de Arrow é emblemático. Tanto para a DC, que conseguiu vencer no seu universo compartilhado para a televisão (sério, a Marvel tentou por duas vezes, mas não rolou) como para os fãs desses personagens, que tiveram a chance de ver suas histórias na TV.

Sinceramente? Lá atrás, eu não acreditava que isso poderia dar certo. Mas o tempo me convenceu que deu tão certo, que mudou completamente o perfil da CW, que deixou de ser o canal teen de séries fúteis para ser um canal de séries de fantasia de qualidade. Um espaço para os jovens adultos consumirem conteúdos de entretenimento que levam a algum lugar.

Fez do CW um canal digno de estar entre os grandes na TV norte-americana.

 

Via Variety