apple

Os estúdios de cinema são relutantes na hora de oferecer aluguéis de seus filmes em formato digital poucas semanas depois dos mesmos chegarem às salas de projeção.

Obviamente, as redes de cinema são contra a iniciativa, mas os grandes estúdios de Hollyood parecem querer mudar de ideia. A Apple se aproxima de empresas como Warner Bros. e Universal Pictures para mudar o jogo.

A Apple e esses estúdios cinematográficos já negociam a proposta a meses, mas não chegaram a um acordo para criar um sistema de streaming premium, com preços que flutuem entre US$ 30 e US$ 50 por filme. Este é o preço médio de duas entradas de cinema em cidades como Nova York e Los Angeles.

Os estúdios mais importantes (com exceção da Disney) querem lançar esse produto para compensar as quedas nas vendas de DVD. Algumas propostas para viabilizar a iniciativa passam em dividir as receitas do novo sistema com as redes de cinema.

Em troca, as redes de cinema pedem um compromisso de longo prazo (até 10 anos), mas os estúdios recusam a proposta.

Os acordos com distribuidores em potencial, como é a Apple, podem vingar em 2018, permitindo que a companhia ofereça digitalmente os filmes apenas duas semanas depois que eles chegarem aos cinemas.

Os acordos dariam aos estúdios uma forma de lançar um ultimato para as redes de cinema: ou aceitam o acordo, ou começam a alugar os filmes do mesmo jeito. As redes de cinema, por sua parte podem fazer boicotes aos filmes que estarão disponíveis para download logo depois de sua estreia.

A polêmica está servida, senhoras e senhores.

 

Via Bloomberg