E o reboot do Oscar veio! Bom, em partes.

Quando eu escrevi sobre um eventual reboot no formato do evento de premiação dos Academy Awards, eu estava falando sério. E falava em mudanças mais profundas. Mas posso me dar por satisfeito (por enquanto) com a decisão de “voltar atrás”.

Para todos os aspirantes a cineastas, fotógrafos e editores (e fãs do cinema em geral), a notícia é excelente: em um plot twist de última hora, digna de um final de filme como O Sexto Sentido, a Academia de Cinema de Hollywood decidiu que todas as categorias do Oscar terão os seus vencedores anunciados durante a transmissão ao vivo pela TV.

A Academia alega ter ouvido o feedback dos seus membros (e da comunidade como um todo, que caiu de porrada em cima da organização do Oscar), e vai incluir as quatro categorias cujos prêmios seriam entregues durante os intervalos comerciais da transmissão pela TV: fotografia, edição, melhor curta-metragem live action e cabelo/maquiagem.

A decisão em retirar algumas categorias do evento principal foi tomada lá atrás, em 2018. Mas só gerou essa controvérsia toda na semana passada, quando a Academia anunciou quais serias que ficariam de fora do evento principal do Oscar, com os seus prêmios relegados aos intervalos comerciais.

No plano original, os discursos dos vencedores deses prêmios seriam editados e exibidos em um momento posterior na cobertura pela TV, e seriam disponibilizados na íntegra na internet, sob o argumento de tentar entregar “uma transmissão televisiva de três horas mais globalizada possível”.

Acontece que o protesto contra essa decisão foi assinado por alguns dos maiores nomes da indústria do cinema, como Martin Scorsese, George Clooney, Quentin Tarantino e Spike Lee. Todos eles assinaram uma carta que foi enviada para a Academia, pedindo que a mesma reconsiderasse. E isso felizmente aconteceu.

Sem falar no fato que era muito conveniente ver essas categorias ficando de fora do Oscar 2019. Afinal de contas, a Disney, empresa dona da ABC (que vai exibir o evento nos Estados Unidos), não contava com indicações nessas quatro categorias. Já a Netflix, principal rival da empresa do Mickey Mouse no mundo do entretenimento nesse momento, pode levar dois prêmios com Alfonso Cuarón nas categorias de edição e fotografia, por Roma.

Percebem o jogo de interesse aqui?

A 91a edição do Oscar (agora com todas as categorias no evento principal) acontecerá no dia 24 de fevereiro, com transmissão no Brasil pelo canal TNT.

 

Via Deadline