Vamos combinar que nem todo o amor do Natal pode fazer com que a gente esqueça que o ano de 2018 entregou algumas boas bolsas de colonoscopia na nossa cara. E no mundo da TV não foi diferente.

Escolher as melhores séries de 2018 é até fácil. Escolher as piores é uma missão para os fortes. Falta de criatividade, elenco ruim, plot twists patéticos e concepção geral totalmente desnecessária.

Se uma de suas séries favoritas aparecerem nessa lista, o problema é seu por ter um péssimo gosto. Mas esta é a lista das 10 piores séries de 2018, e você nada pode fazer sobre isso. A não ser reclamar muito no Twitter.

Vamos lá.

 

 

Os 10 piores programas de TV nos EUA em 2018

 

10. ARRESTED DEVELOPMENT: a quinta temporada foi um erro, perdendo de vez o charme da época que era exibida na Fox, com piadas recicladas e um plot convulsivo. Até mesmo o elenco estava desinteressado, e com as tretas do Jeffrey Tambor, é quase certo que a família Bluth foi embora para nunca mais voltar.

9. CAMPING: a chatíssima série da HBO parecia ser uma grande ideia. Mas tem a Lena Dunham, que sempre achei superestimada. Foi doloroso ver Jennifer Garner se submeter a essa humilhação pública.

8. HAPPY TOGETHER: nem a CBS, nem Damon Wayans Jr, nem Damon Wayans Sr. salvaram essa série unhappy. A premissa do casal feliz que aceita um famoso músico morando com eles depois de um fim de relacionamento só se sustentou nos primeiros episódios, cheio de piadas sem qualquer tipo de inspiração.

7. REL: ter alguém do elenco de Get Out só é uma boa ideia no papel. A série simplesmente não é engraçada, e não tem nenhum tipo de veia cômica ou algo que se aproxime disso. E não adianta exibir essa bomba no domingo achando que The Simpsons tem que ajudar essa draga, Fox!

6. HERE AND NOW: Alan Ball, como você pode errar na mão assim? Um drama familiar com personagens insossos, com um plot que até poderia fazer sentido na era Trump como presidente, mas simplesmente não rolou. Não colou. Não deu certo!

5. I FEEL BAD: o nome da série diz como eu me sinto com ela. E em um momento onde o movimento #MeToo ainda tem muita força, a série pode até parecer ofensiva para algumas pessoas. Na prática, não deu certo pelos mesmos motivos da maioria das séries citadas na lista: simplesmente não é engraçada.

4. INSATIABLE: detonada por todos antes mesmo da estreia, mas nesse caso, ela foi mais boicotada por causa de sua premissa. Para muitos, todo o protesto mostra o seguinte: fazer bullying com quem é gordo, tudo bem… mas se vingar disso é “imoral, politicamente incorreto e um absurdo”. OK.

3. KEVIN CAN WAIT: não basta perder a co-protagonista. É preciso perder também todo o controle criativo e bom senso. A saída de Erinn Hayes e a chegada de Leah Remini para interpretar ao lado de Kevin James revelou toda a mediocridade da pior série familiar da CBS.

2. THE PROPOSAL: é claro que tinha que dar merda. Em um bizarro universo alternativo onde as palavras “empoderamento feminino” não possuem qualquer tipo de significado, o reality de encontro às cegas foi um desastre do começo ao fim, mas chafurdou no estrume com cenas de mulheres de biquini declarando o seu amor por caras que nem conhecem, sem falar na acusação de assédio sexual contra um dos concorrentes.

1. MEGYN KELLY TODAY: é uma surpresa, mas o grande desastre televisivo de 2018 nos EUA não foi uma série ou um reality, mas sim um programa jornalístico. A ex-apresentadora do Fox News deu uma de Ellen DeGeneres às avessas e foi para a TV aberta, e rapidamente sofreu por não ter uma vibe positiva, sendo extremamente ofensiva no começo do programa, o que resultou em uma audiência pífia. E pedir desculpas depois de tudo não resolveu nada. E não iria resolver mesmo.