greve dos roteiristas

Você nem percebeu, mas a famigerada greve dos roteiristas da TV norte norte-americana de 2008 completou 10 anos.

Me lembro como isso afetou bem as séries de TV. Algumas delas desandaram. Já outras, conseguiram o que precisavam para funcionar de forma definitiva.

Nesse post, mostramos 10 séries que foram afetadas pela greve dos roteiristas de 2008. E, mesmo em casos positivos, esperamos que a tal greve não aconteça novamente tão cedo.

BREAKING BAD
A greve fez com que a primeira temporada, encomendada para nove episódios, fosse reduzida para apenas sete. E essa mudança salvou Hank Schrader, que estava previsto para morrer no nono episódio da primeira temporada. Hank durou quase a série toda, e sua morte foi algo simplesmente épico.

FRIDAY NIGHT LIGHTS
Bagunçou com a série toda. O infame assassinato cometido por Landry, novo membro da equipe, Lyla e Christian se bagunçando… sem falar que a segunda temporada foi reduzida para 15 episódios. A terceira temporada resetou tudo. Ou quase, já que Landry matou outro cara.

24 HORAS
Fudeu com tudo. Jogou a sétima temporada para 2009, e no meio do caminho (novembro de 2008), apresentou 24: Redemption, que serviu de gancho para a temporada abaixo da crítica.

THE BIG BANG THEORY
Fez um bem danado. A sitcom estreou em 2007, e as diversas reprises da série durante a greve fez com que a mesma encontrasse a sua audiência, garantindo uma renovação até considerada improvável para a segunda temporada. E o resto é história.

BATTLESTAR GALACTICA
O último episódio produzido antes da greve foi feito como um possível series finale. Mas a série voltou para mais nove episódios, e seu criador, Ronald D. Moore, creditou à greve o tempo que teve para formular um final mais satisfatório para a trama.

30 ROCK
A segunda temporada da série teve sua encomenda de episódios reduzida de 22 para 15 episódios. Porém, o tempo livre deu aos roteiristas a chance de mudar a série por completo. Durante a greve, o elenco fez uma versão ao vivo de um episódio, e isso deu tão certo, que inspirou Tina Fey a realizar dois episódios ao vivo para a NBC, nas temporadas 5 e 6.

HEROES
Fudeu com tudo também. A segunda temporada teve sua encomenda reduzida de 24 para apenas 11 episódios, e Tim Kring teve que improvisar. Dos três volumes previstos na temporada, a série só apresentou um (Generations). A próxima (Villains) foi jogada para a terceira temporada, e a terceira (Exodus), foi prejudicada. A greve também soterrou os planos do spinoff da série, Heroes: Origins.

SCRUBS
A sétima temporada teve apenas 11 episódios, e Bill Lawrence teve a chance de filma rum series finale, mas recusou. A série voltou, mas não na NBC: migrou para a ABC em 2008, para mais duas temporadas.

PUSHING DAISIES
A dramédia de Bryan Fuller estreou em 2007 com quase 13 milhões na audiência geral. Mas a greve tirou o timing da série, que teve na segunda temporada apenas nove episódios. A série ficou fora do ar por 10 meses, e a audiência se esqueceu que ela existia.

GIRLFRIENDS
A sitcom da UPN/CW estava na sua oitava temporada quando a greve começou, e a CW cancelou o programa sem dar um series finale digno. O motivo: era uma série cara demais. Até a retrospectiva da série foi descartada, porque o elenco não aceitou receber metade do salário que recebiam para esse episódio especial.