Amigos, eu gosto da NBC. Acredite. Eu cresci vendo suas séries, e se pensarmos que em um passado não muito distante (15 anos) ela era a líder absoluta de audiência, é doloroso ver o que acontece com o canal hoje. Por outro lado, algumas decisões que os seus executivos tomam são tão desastradas, que justificam a situação dramática que eles vivem nessa Midseason. Nesse post, vamos ilustrar a situação caótica de suas séries, e o quanto eles esperam que o inverno congelante passe. Ou que o mês de março chegue logo.

A NBC está, nesse momento, registrando as suas audiências mais fracas desde a formação dos quatro grandes canais abertos norte-americanos (com a chegada da FOX, em 1987). Qualquer coisa que foi exibida no canal desde o mês de janeiro de 2013 não dá audiência, seja lá o que for. E, para você ter uma ideia, a última coisa que deu alguma audiência para a NBC nas últimas semanas foi o Pro Bowl, o jogo das estrelas do futebol americano. Que, por sinal, ninguém deu a menor importância esse ano.

Na verdade, o dono da bagunça toda, o presidente da divisão de entretenimento da NBC, Bob Greenblatt, previu que o canal teria dificuldades na audiência durante a Midseason. Afinal de contas, o campeonato de futebol americano acabou, e eles lideravam as noites de domingo com o jogo noturno. Sem falar que The Voice teve sua temporada encerrada em dezembro, e a série de maior audiência do canal, Revolution, entrou em pausa. Greenblatt chegou a afirmar que os meses de janeiro, fevereiro e março seriam “assustadores” para a NBC.

E, de fato, estão sendo.

Smash voltou ao ar com a sua pior audiência desde a estreia, com 4.5 milhões de espectadores. Do No Harm foi cancelada no segundo episódio, em um cenário patético: a estreia da série foi a pior estreia de todos os tempos na era dos quatro grandes canais abertos, e o segundo episódio registrou apenas 2.2 milhões de espectadores. Detalhe: em um horário que, em 2008, a NBC era líder absoluta de audiência com E.R..

Deception tenta sobreviver, mas também não deve ter vida longa, uma vez que registrou apenas 3.1 milhões de audiência no seu último episódio inédito. Já 1600 Penn não será exibida nessa semana, e também corre sérios riscos de ser cancelada. A comédia só registrou 2.6 milhões de espectadores no último episódio inédito.

Para ilustrar melhor, e de forma bem clara, o quão crítica é a situação da NBC, vamos colocar para vocês uma comparação bizarra, mas objetiva. Se somarmos todas as estreias que o canal apresentou entre os meses de janeiro e fevereiro (incluindo o retorno de Smash nesse bolo), o canal do pavão não conseguiu uma audiência acumulada que fosse sequer igual a audiência total de The Walking Dead em seu retorno de temporada, que como vocês bem sabem, passa em um canal premium da TV a cabo norte-americana, o AMC.

Vamos além: na TV aberta dos EUA, existem hoje 33 programas dos outros canais que possuem mais audiência do que qualquer outro programa da NBC. Hoje, os programas mais vistos do canal são o Dateline NBC (a revista eletrônica do canal) e o Rockcenter with Brian Williams (talk-show). Tudo bem que a CBS lidera hoje a audiência com qualquer coisa que passar (17 dos 20 programas mais vistos nos EUA são da CBS). Mas o fato é que a NBC, além de ser o quarto canal hoje no país, ficou bem para trás da FOX, que hoje é a vice-líder, e da ABC, que também registrou queda com o fim de algumas séries consideradas “megahits”.

Ah, e antes que você me pergunte: a CW segue sendo o canal “café com leite”. Ainda está longe de passar a NBC na audiência geral, apesar de The Vampire Diaries e Arrow terem dado mais audiência que Do No Harm.

Como podem ver, a NBC está orando para que o mês de março volte, para que The Voice e Revolution voltem a ser exibidas. Porém, isso não é o suficiente, e tudo indica que esse cenário vai ficar mais caótico nos próximos meses. Talvez a situação mais crítica seja mesmo as noites de quintas, que é o pior dia em audiência do canal (caramba, eles tinham Seinfeld, Friends, Will And Grace…), e rumores apontam que a NBC estaria até disposta a por fim ao seu tradicional bloco de comédia, redistribuindo essas séries em outros dias da semana.

O problema nem é esse. Ou a NBC consegue um megahit na próxima temporada (alô, Michael J. Fox!), ou o canal será relegado a motivos de piadas constantes. E não pelo lado positivo. Quem sabe se eles voltarem a explorar as sitcoms tradicionais em multi-câmera (com plateia ao vivo) as coisas não melhoram. Afinal de contas, boa parte da liderança da CBS é feita com séries nesse gênero (2 Broke Girls, The Big Bang Theory, How I Met Your Mother, Mike and Molly, The Big Bang Theory). Talvez voltar ao básico. Ok, mockumentarys são bem legais, mas pelo visto, as sitcoms dão mais audiência mesmo.

Mas como quem decide é o Greenblatt (o mesmo cara que aprovou The Cape)…