Depois de polêmicas por todos os lados, a NBC cancelou The Playboy Club com apenas dois episódios exibidos. Muita gente ficou brava por aí com esse cancelamento, mas saiba que ela não foi um exemplo isolado. Ao longo da história, vários canais foram impacientes, e cancelaram produções de forma precoce, tal como The Playboy Club, pelos mais diversos motivos. Abaixo, listamos apenas 10 exemplos desse fenômeno. Algumas séries mais antigas, outras, bem recentes.

Public Morals (CBS), 1996

Criada por Steven Bochco, era (pasmem) uma comédia, satirizando uma Nova York violenta e cheia de prostitutas e crimes. Só o piloto foi o bastante para cancelarem a palhaçada. John Irvin, protagonista da série, ainda deu sorte, pois seu personagem foi parar em Nova York Contra o Crime (Fox).

Lawless (Fox), 1997

Protagonizada pelo ex-jogador de futebol americano Brian Bosworth, Lawless foi um desastre. Apenas um episódio exibido no sábado à noite foi o prato cheio necessário para a crítica cair de pancada na época.


Emily’s Reasons Why Not (ABC), 2006

A ABC promoveu muito a série de Heather Graham. A série contava a história de uma mulher que decide que, se ela puder listar 5 motivos para terminar com um cara, ela o faria. E a ABC resolveu terminar com a série depois da sua estreia registrar apenas 6.2 milhões de expectadores (em 2006, os tempos eram outros; se fosse hoje, quem sabe…)

Anchorwoman (Fox), 2007

Protagonizada pela ex-modelo Lauren Jones, a série contava a história da modelo que queria ser âncora de um telejornalismo. A série ancorou no primeiro episódio.

Viva Laughlin (CBS), 2007

Mesmo com Hugh Jackman no elenco, o drama musical da CBS não se manteve no ar. A série registrou apenas 8.4 milhões de expectadores de média nos seus 2 episódios exibidos – bem abaixo dos 21.2 milhões que sua predecessora no horário, CSI. É sinal que o público não comprou a ideia. Se esperassem mais dois anos, pelo menos, teriam emplacado (ou não).


The Beautiful Life (CW), 2009

Modelos, Mischa Barton “atuando”, e Ashton Kutcher “produzindo”. Era a tragédia anunciada, ou o acidente de trem na velhinha que todos nós previmos. Na estreia, deu 1.5 milhão de audiência. No segundo (e último) episódio, ficou em apenas 1 milhão. Aí, o facão rolou.


Quarterlife (MySpace, NBC, Bravo), 2008

Vamos explicar. Ela começou como uma websérie de sucesso no MySpace, foi para a NBC na mid-season daquele ano, e fracassou, e teve os seus 5 últimos episódios exibidos pelo canal Bravo. Não deveria ser lá grande coisa para ter feito essa viagem nos canais.

Lonestar (Fox), 2010

Um dos poucos casos da lista que acreditamos que foi um erro lamentável do canal. A série recebeu vários elogios da crítica, mas o público norte-americano não comprou a história protagonizada por James Wolk, que era um carismático golpista do Texas. Após 2 episódios, foi cancelada. Ah, os norte-americanos médios…

My Generation (ABC), 2010

O documentário fictício sobre a “geração ano 2000” prometeu muito, mas entregou muito pouco. Em 2 episódios, a série perdeu 31% da sua já baixa audiência, e não sobreviveu. Um grande #fail da última fall-season.


The Paul Reiser Show (NBC), 2011

A NBC cancelou com 2 episódios aquela que chegou com a promessa de ser “o Curb Your Enthusiasm da TV aberta”. Também pudera: a série protagonizada por Paul Reiser registrou a mais baixa audiência de uma comédia da NBC em todos os tempos!

Via Hollywood Reporter