Mistresses

Mistresses (ABC), doravante conhecida como “a série das amantes”, chegou ao fim.

O canal do alfabeto decidiu cancelar o drama depois de quatro temporadas. E, convenhamos, até que o plot durou muito.

 

Mistresses: as amantes que sobreviveram na ABC

Todo mundo (ok, exagerei… vou começar de novo…).

Muita gente gosta de histórias que andam no modo “tiro, porrada e bomba”, e Mistresses, mesmo usando de elegância, era desse tipo.

A série das amantes não se limitava a tratar de um tema relativamente ousado e que contrariava a moral e os bons costumes da sociedade cristã ocidental. Ela fazia isso de modo sofisticado. Ao extremo.

Era quase um Real Housewives, mas com as amantes.

Ou um Desperate Housewives… com as amantes!

Na verdade, Mistresses tem até um engajamento social interessante, em mostrar o lado humano daquelas que são peça pivô de uma traição.

A série mostrou que amante também é gente! Não que eu tivesse pensado que não era, mas mulher traída acha que a outra é qualquer coisa, menos gente.

Logo, mostrar o outro lado da moeda é algo justo, salutar e bem interessante.

Porém, uma série de summer season durar quatro temporadas é muito. Ainda mais quando teve gente famosinha no elenco que nem quis participar mais da série quando a produção saiu dos Estados Unidos e foi para o Canadá.

Em resumo: pode até fazer falta, mas chega ao fim na dose certa.