game-of-thrones-logo

E lá vamos nós falar desse assunto que inflama as massas. E sempre com a mesma série: Game of Thrones. Não se preocupe, amigo leitor. Eu não vou revelar nada do que aconteceu no episódio de ontem (13), até porque dizer que “alguém morreu em Game of Thrones” não é spoiler. Já tivemos mais de 5 mil mortes em três temporadas da série. Logo… normal. Mas o assunto não é esse.

O spoiler, para os fãs de séries, é uma prática tão condenável quanto encochar a própria mãe dentro de um metrô lotado. Alguns mais babacas acham que encochar a mãe é mais aceitável, pois a velha deve estar necessitada. Agora, spoiler? De jeito nenhum! Contou spoiler, a pessoa merece morrer da forma mais lenta e dolorosa possível. E, se possível, envolvendo algum tipo de tortura anal, muito provavelmente praticada nos tempos de… Game of Thrones, por exemplo.

Não vou condenar quem não gosta de receber spoilers. Afinal de contas, todo mundo tem o direito de viver aquela experiência televisiva ou cinematográfica de forma plena, se surpreendendo com os acontecimentos que serão apresentados. As surpresas de uma narrativa também fazem parte da dita jornada televisiva. E é chato pra cacete quando alguém, do nada, vira e conta para você que um determinado personagem morre no final do episódio. É realmente broxante.

Por outro lado, também vejo que as pessoas estão perdendo o limite do bom senso na tentativa desesperada de estabelecer regras para não receber spoilers sobre suas séries preferidas. Ainda mais na era da internet, onde o povo naturalmente não tem travas na língua – e nem deve ter. Afinal, tá pra nascer quem vai me impedir falar o que eu quiser na internet.

O caso de Game of Thrones é onde temos os egos mais inflamados. Os dois lados defendem seus pontos com ênfase e argumentos pouco racionais, do tipo “você é um babaca por dar spoilers na internet”, ou “você é um imbecil por me impedir de comentar a série que estou assistindo”. Antes de qualquer coisa: eu não estou defendendo nenhum dos lados. Até porque eu acho que o melhor mesmo é cada um cuidar da sua vida. Mas, na pequena possibilidade desse post ao menos levantar uma discussão sobre o assunto, vou mostrar alguns pontos que precisam ser analisados.

Para começar, estamos na INTERNET, P*RRA! As informações correm tão rapidamente nessa dita rede mundial de computadores, que mesmo que você tente evitar, você corre os sérios riscos de receber spoilers na cara. E, na boa, a culpa não é só de quem publicou o spoiler. A culpa TAMBÉM É SUA por ficar nas redes sociais no horário em que o episódio está indo ao ar.

Aliás, eu tenho uma teoria: quem é realmente fã convicto de uma determinada série, jamais deve seguir nas redes socais sites que falam de séries. Normalmente, logo após o episódio acabar lá fora, esses sites publicam posts praticamente dissecando o episódio, contando e comentando todos os acontecimentos do mesmo.

Aliás, se você é fã de uma determinada série, e não pode ver o episódio da mesma naquele momento em que ela está passando, a melhor coisa a fazer por você mesmo é simplesmente não abrir as redes sociais naquele horário e até depois disso. As chances de receber spoilers são simplesmente enormes.

Mas não. Tem gente que simplesmente quer correr o risco.

Então, fica a pergunta: no lugar de querer cagar regra na cabeça dos outros, por que você não faz alguma coisa para evitar os spoilers? Querer que o mundo mude para atender você é fácil, né?

Por outro lado, também cabe aos “espoliadores” um pouco de bom senso. Segurar um pouco a onda, ou ao menos colocar a tal da tag #spoiler no começo da postagem, ou criar uma sala privada no WhatsApp para comentar o episódio com os amigos, utilizar o aplicativo da série (algumas séries possuem), ou até hangout está valendo… não estou falando para você se censurar. Pelo contrário: comente sobre o que quiser na internet. Mas há várias alternativas melhores do que chegar na internet e dizer:

Morre fulano FDP! Sonhei por isso desde o primeiro episódio! #GoT

Por fim, algumas coisas precisam ser observadas.

No caso específico de Game of Thrones, eu digo: crianças, parem de ser inocentes. A série passa no Brasil no mesmo horário que a HBO exibe nos Estados Unidos (na Costa Leste).

Logo, a regra é bem clara: se passou no Brasil… NÃO É SPOILER, C*R*LHO! P*RRA, JÁ FALAMOS ISSO VÁRIAS VEZES! POR QUE VOCÊ É BURRO E NÃO ENTENDE ISSO?

Tem gente que caga regra com Game of Thrones, mas quando é pra qualquer outra coisa que passa na TV “não é spoiler porque eu não me importo”? Ah, vai te catar! Se Game of Thrones fosse passar no Brasil um dia depois dos Estados Unidos até seria motivo de reclamação. Porém, não é assim que funciona.

Além disso, ainda sendo específico sobre Game of Thrones, vale lembrar que essa série é baseada em livros que, caso você não saiba, JÁ FORAM PUBLICADOS! Ou seja, também teremos a regra do “fechem as livrarias, pois não quero receber spoilers de Game of Thrones”?

Quem cantou essa bola ontem mesmo foi Stephen King no Twitter. Leia:

 

 

 

Pois é. Estou com ele nessa.

Acho que, no final das contas, falta bom senso dos dois lados. Aliás, o que falta é que cada um cuide da sua própria vida, e pare de querer mudar o outro. Pela própria natureza do SpinOff, eu aprendi a lidar com spoilers todos os dias, e aprendi a fazer as minhas próprias regras, que garantem a minha satisfação em acompanhar séries de TV, mas sem prejudicar a experiência dos outros.

Mas tais regras só valem para mim.

Se não quero saber sobre algo, simplesmente saio da internet, e vou fazer outra coisa. Não posso ver o episódio naquele momento? Paciência. Porém, não posso censurar o outro que faz da conexão de internet e conta na rede social o que ele quiser. O máximo que você pode fazer é parar de seguir a pessoa. Simples assim.

Por outro lado, eu torço para que esse fã de série não se depare com um “espoliador” na vida. Afinal de contas, essa pessoa não vai poder ficar de #mimimi na internet quando a luz dele acabar no dia daquele episódio decisivo, e quando voltar, a primeira coisa que ele receber no seu computador ou smartphone é aquela informação crucial do episódio que ele acabou de perder.

Em resumo: bom senso, meu povo. Galera tá perdendo a mão. E faz tempo.