Porcentagem de spoilers: 50%.

Nem adianta reclamar que a foto acima é spoiler. Todo mundo já sabia que Mark Sloan iria morrer, e a própria Shonda Rhimes disse isso. E outra: a premiere da nona temporada de Grey’s Anatomy teve como plot principal “dar uma morte digna” ao McSteamy (segundo palavras de Shonda) e contar como todo mundo ficou depois do acidente. Mesmo que, para isso, Shonda Rhimes transforme problemas pequenos em grandes.

O episódio em si não foi tão ruim assim. Já me irritei mais com Grey’s Anatomy nas últimas temporadas, e vi coisas piores acontecendo na série. Porém, de novo, os promos venderam coisas que o piloto não conseguiu cumprir. Aliás, o marketing da ABC adora prometer coisas que a série em nada corresponde ao prometido (vide a última temporada de Lost, não é mesmo?). Então, apesar de prometer um dos inícios de temporada mais emocionais da série, não foi bem isso o que vi nesse episódio.

Aliás, alguns sintomas que mostram claramente que nossa amiga Shonda se perdeu estão na atitude de alguns personagens importantes da produção. Exemplo: Miranda Bailey não é mais a “nazista”. Como assim? Bastou arrumar um namorado que agora nada mais importa, nem a morte de um colega de trabalho das últimas cinco temporadas? Sério?

Meredith Grey virou a Christina Yang de Seattle Grace Mercy West. Por sua vez, Christina Yang virou a Meredith Grey de Minnesota. Com a diferença que Yang foi lá para ver a realidade dos fatos: em Seattle, ela fazia o que queria, pois era uma terra sem lei e sem diretores médicos. Na nova cidade, existe algo que nunca ensinaram a ela: hierarquia. Enfim, sem mais o que inventar, Shonda fez uma troca de personalidades nas duas. E bola pra frente.

Derek sabia que não podia operar, mas foi teimoso (mais uma vez), e agora, começa a se punir por isso. Talvez esse seja o maior problema “real” da temporada. Se bem que, da forma como ele ferrou com a mão depois da queda do avião, é até um milagre ele voltar a operar. Aliás, milagre esse que foi realizado por Callie, que por sua vez, tem que conviver com o seu novo problema. Que, na minha modesta opinião, pode ser resolvido com uma simples prótese. Afinal de contas, como disse lá atrás, o Seattle Grace Mercy West é uma terra sem lei mesmo. Logo, nada impedia que uma aposentada por invalidez voltasse a trabalhar. Ia ser até um exemplo positivo para os expectadores.

E, pelo visto, as pessoas adoram o Alex Karev. Algumas, nem todas. Falo isso porque, de novo, o rapaz metido a mal educado e pegador vira uma menininha, e não tem coragem de deixar tudo e todos para trás. Ok, o motivo dele é nobre para ficar? Pode até ser. Mas, da forma como ele falava sobre o assunto, a sua decisão era sem volta, e que deixaria Seattle para trás, para finalmente seguir sua vida. Não fez nada disso, passou um episódio inteiro se despedindo do hospital, para depois terminar bebendo as mágoas com Meredith, como sempre. Fraco!

Eu já ia me esquecendo. Um novo grupo de médicos aprendizes chega ao hospital. Afinal, novos personagens tinham que entrar, depois de três baixas no elenco. Destaque para uma delas (Dra. Stephanie), que entra para ser a potencial nova Lexie Grey (e isso não é um elogio), que terá como mentora a nova carrasca de SGMW, Meredith Grey. Tenho medo do que pode surgir desse argumento.

Por fim, o Owen mostra que é tão bom administrador de hospital como eu sou engenheiro de física quântica, tentando corrigir os erros do final da temporada, só que não. Infelizmente, eu e você vamos ter que aguentar a Srta. April por mais uma temporada no hospital. Pelo visto, as pessoas gostaram dela também.

Para resumir, não foi o pior episódio de Grey’s Anatomy que eu vi, mas todos esses “recursos de roteiro” adotados por Shonda Rhimes para criar um drama que não é drama, e que servem apenas para estender a temporada acabam irritando muita gente. Pelo visto, as histórias acabaram, e está na hora dessa história acabar, antes que chegue no ponto de E.R., que era ótima, mas no final, ninguém mais se importava com a série, por causa de tantas idas, vindas e mortes. Aliás, por que Shonda ainda se vinga daqueles que querem deixar a série com a solução do tipo “saia para nunca mais voltar”? Será que ela precisa matar todo mundo que está saindo?

Fica aí a questão para vocês pensarem.