Calma, meu povo! O SpinOff TV Series ainda é nosso, e ainda é um blog sobre TV, séries e brigas de celebridades no Twitter. Esse post não tem como objetivo ofender nenhum segmento esportivo/religioso. Apenas quer traçar um curioso paralelo entre os fanáticos dessa popular agremiação futebolística e os fãs de séries mais insuportáveis. Sim, amigos… os dois tem mais em comum do que você possa imaginar.

Observei com muita atenção a invasão corinthiana no aeroporto de Guarulhos. E, ao ver as imagens pela TV (tanto as da festa quanto as do vandalismo), cheguei à conclusão que os fãs xiitas de séries e os torcedores corinthianos tem muito em comum. E acredite se quiser, esse post não será em tom de crítica. Serei até elogioso com os dois grupos. Mas, antes de qualquer coisa, minha avaliação parte do princípio que “não existe série ruim para um verdadeiro fã xiita” (tá, Ringer e The Cape desafiam essa regra frontalmente). Pensando nisso, vamos fazer aqui as associações dos dois grupos. Me acompanhem:

– os dois vestem a camisa: você pode chamar um corinthiano e um fã xiita de série de qualquer coisa, menos de descrente. Em qualquer circunstância, situação, evento social, entrevista de emprego ou tentativa de assalto ao banco, eles estão lá, defendendo as causas que amam. A série pode ter traço de audiência, ou o time pode estar na segunda divisão, mas a defesa vai ser incondicional e constante.

– os dois não aceitam ouvir opiniões contrárias: sabe o “o amor é cego”? Pois é, o reflexo imediato disso é que os dois grupos simplesmente se tornam surdos, e no lugar de se tornarem mudos, falam mais que a boca para defender as suas causas. Tá bom, eu sei: você gosta do time, gosta da série, é o seu “amorzinho”, morreria por ele, mas ao menos entenda quando falamos que “isso não é tão legal assim”. Não precisa aceitar. Só entenda que o resto do mundo não enxerga a causa como você.

– os dois grupos não economizam tempo e dinheiro (principalmente dinheiro): estou sabendo de um torcedor corinthiano que vendeu o carro e encheu a mala de Miojo para poder ver o time no Japão. E já testemunhei gente que veio de outros estados para entrar de penetra em coletiva de imprensa, só para ficar berrando diante do astro de sua série preferida. Percebeu as semelhanças?

– os dois grupos sabem TUDO sobre a causa que defendem: o corinthiano sabe a escalação do time de cor, a cor da cueca do treinador, os anos em que o time foi campeão paulista, e até mesmo as receitas fiscais do ano do time (ok, essa última eles nunca vão saber). O fã xiita de séries conhece o elenco de cor e salteado, sabe quem dirigiu cada episódio, procura todas as referências possíveis na internet sobre a série, e te ameaça de morte quando você pronuncia errado o nome “Sackhoff” (sim, eu procurei no Google para escrever esse nome…).

– rebaixamento (ou cancelamento) é a morte para os dois grupos: em 2007, quando o Corinthians caiu para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, o que teve gente se algemando na porta do estádio, fazendo greve de fome, cortando os pulsos e ameaçando se jogar da marquise do Pacaembú é algo incontável. Agora, pense nos fãs de séries prometendo suicídio coletivo no Twitter após o anúncio que The Secret Circle foi cancelada. É quase a mesma coisa (fora a parte do Pacaembú)…

– “eu nunca vou te abandonar”: é a extensão do “os dois vestem a camisa”. Por mais que o mundo diga que “está tudo errado” e “isso é uma porcaria”, os dois grupos seguem firme, ou acompanhando o time, ou acompanhando a série. Esse é um tipo de amor que deve ser valorizado. Muitos podem chamar de amor cego, inconsequente e até irracional. E daí? É amor sincero, fiel, autêntico. Aceita a causa que abraçou do jeito que ela é, e não ficou xingando no final, quando uma rolha apareceu na ilha, no final de uma cascata de luz, e… bom, vocês entenderam…

Quer saber? Os dois grupos são diferenciados. Sem eles, o mundo (do futebol e das séries de TV) seria meio sem graça. Seria um pé no saco se todos fossem “críticos, analíticos, parciais e com olhos clínicos para a necessidade da arte como arte enquanto seres humanos ditos racionais” (beijo @vanamedeiros!).

Apesar de ser contrário às ameaças de morte que recebo toda semana por dizer que Zooey Deschanel é tão comediante quanto o poste de “Pare” da esquina da minha casa, ou dizer que quem se disfarça de torcedor para fazer vandalismo em locais públicos merece estar na cadeia e não no estádio, eu penso que a grande maioria dos dois grupos merece ser pelo menos respeitada pelo empenho, dedicação e amor às causas que abraçaram.

Logo, você, fã xiita de séries… você tem um lugar especial no coração do SpinOff TV Series. Agora, tente não substituir esse local por uma faca, estaca, estrelinha ninja ou cianureto. A sociedade agradece!