Z-Nation-syfy

Eu nem sei por onde começar. Na verdade, sei sim: nunca mais assisto The Walking Dead na minha vida, principalmente depois de ver o “espetacular” piloto de Z Nation (Syfy).

Podem me xingar, me ameaçar de morte, amaldiçoar minha existência ou dizer calúnias contra a moral sexual da minha mãe. Eu não me importo com nada disso (até porque minha mãe dá o que ela quiser, para quem ela quiser). Fato é que mais uma vez o Syfy consegue respeitar o seu telespectador, oferecendo um produto com a sua assinatura de qualidade – que nada mais é do que o padrão “deu a volta”.

É claro que muita gente vai se sentir incomodada porque temos mais uma série que vai abordar a temática de apocalipse zumbi. E, de fato, Z Nation não apresenta absolutamente nada de novo. Estamos diante de um cenário de caos, todo mundo está morrendo, a cura não existe… bom, mais ou menos sobre esse “a cura não existe”: tem pelo menos um maleta no grupo dos sobreviventes que possui o tal gene que, combinado com a vacina testada pelos órgãos norte-americanos (um CDC da vida), é imune ao vírus zumbi.

Logo, a missão daqueles que sobreviveram é levar esse cara para um CDC que ainda funciona, para que o seu organismo seja estudado, o seu gene devidamente identificado, para que uma pequena chance de cura apareça.

O problema? Não bastando o apocalipse zumbi, a turma de sobreviventes está em Nova York. E o tal CDC fica na Califórnia. Ou seja, vão ter que cortar um país recheado de zumbis bem espertinhos para buscar uma cura. Nada dessas frescuras de você já estar em Atlanta e ter um CDC do lado da sua casa, para você buscar ajuda (e descobrir que aquilo ali não serve para nada).

Z Nation - Season 1

Mas… calma! Tem mais!

Z Nation dá de dez a zero em The Walking Dead na dinâmica proposta pelos seus criadores e roteiristas. No lugar de várias horas de contemplação ao silêncio e episódios inteiros discutindo a relação entre pais e filhos, a série zumbi do Syfy apresenta tudo aquilo que nós, verdadeiros fãs de séries queremos ver: tiros, correria, várias referências a outras séries, e o principal: muita diversão.

Diferente dos zumbis daquela série pretensiosa do canal AMC (que se arrastam), os zumbis de Z Nation são muito mais espertos: eles não só correm – e muito, exigindo que cada sobrevivente seja praticamente um Usain Bolt – como eles até “raciocinam” – por mais contraditório que isso possa parecer. Tem uma cena em um lago recheado de zumbis (algo claramente inspirado em uma polêmica cena da segunda parte da quarta temporada de The Walking Dead), que mostra claramente o potencial de Z Nation: os zumbis “se fingem de morto”, pegando de surpresa uma dupla de sobreviventes distraídos.

A série não ofende tanto nos aspectos visuais. Mas quando resolve te agredir, faz de forma que você não esqueça nunca mais. Aliás, quero deixar registrado que eu quero comprar para a minha filha no natal o boneco do bebê zumbi que apareceu no episódio. Quem assistiu o piloto sabe do que estou falando. Não tem como aquele boneco não virar o presente preferido das crianças!

Z-Nation-zombie-baby

Diante de toda a felicidade que a série representou, podemos até ignorar as atuações ruins de praticamente todo o elenco. Z Nation é a série para ser vista, e já é, de longe, aquilo que você DEVE ver nessa fall season 2014. É diversão pura. Não tem como ser melhor. Aliás, tem: o preview da temporada mostra que o Syfy não tem mais medo de assumir que faz TV para o seu público alvo. Se dependesse de mim, Z Nation estava renovada desde o segundo intervalo do piloto.

Na boa? Se a AMC é esperta, nem se dá ao trabalho de desenvolver um spinoff de The Walking Dead. Anuncia logo a parceria com o Syfy, e deixa Z Nation como o spinoff oficial.

 

P.S.: mais uma vez eu tenho que perder meu precioso tempo escrevendo linhas para os seres de mente mais fraca. Sim… esse texto tem elevadas doses de humor e ironia. Se você não é capaz de identificar isso em um texto, você é burro. Definitivamente.