truth-be-told

É melhor fazer essa review antes que a série seja cancelada. Porque o potencial de cancelamento é enorme!

Mark-Paul Gosselaar saiu de Saved by the Bell, foi para Franklin & Bash, e agora volta para a NBC em Truth Be Told (que antes se chamava People Are Talking), sitcom que entra na cruel noite de sexta-feira para tentar se consolidar na já problemática programação do canal do pavão. Aliás, essa é uma das apenas três comédias que o canal tem no ar na fall season 2015. Ou seja, é melhor dar certo. Caso contrário…

Nem sei se é melhor dar certo. Mas enfim, vamos lá.

Truth Be Told mostra o relacionamento de dois casais que tem em comum a diversidade. Mitch (Grosselaar) e Russell (Tone Bell) são melhores amigos. Mitch é casado há cinco anos com Tracy (Vanessa Lachey), com quem tem uma filha, enquanto que Russell é casado com Angie (Bresha Webb), com quem não tem filhos. Mitch é judeu, Russell é negro, e os dois são vizinhos.

Até aí, tudo normal. O problema é que Mitch e Russell são piores do que duas mulheres fofocando. Eles falam de tudo e de todos, sem qualquer tipo de preconceitos ou limites. Questionam absolutamente tudo: desde o sotaque da atendente do restaurante chinês até a babá gostosa que vai trabalhar na casa de Mitch (que, por sinal, é uma atriz pornô).

O “elevado poder de observação” (se é que podemos dizer assim) dos dois amigos acaba colocando os dois em situações um tanto quanto constrangedoras, complicando suas vidas e, por tabela, causando aquele sentimento de vergonha alheia nas suas respectivas esposas. Baseado na vida do produtor-executivo e criador da série DJ Nash, Truth Be Told é, literalmente um “verdade seja dita” sobre o cotidiano nosso de cada dia, com uma visão mais escrachada do limite entre a sinceridade e a avacalhação.

truth-be-told (1)

A gente pode resumir que Truth Be Told é outra comédia da NBC que nasceu morta. Os índices de audiência de estreia foram fraquíssimos, e como não é uma série da Amy Poehler ou da Tina Fey, não conta com o prestígio da crítica para sobreviver. De fato, não achei o piloto ruim. Só achei ele comum demais para se manter no ar por mais tempo.

A série não tem nada de especial. É uma comédia de situação bem rasa, com piadas meio óbvias e alguns risos forçados. Algumas piadas até que funcionam, mas você vai ter que fazer muita força para rir das mesmas. Já outras não funcionam mesmo, e você se pergunta por que entraram na série. De um modo geral, não há uma estabilidade de ser uma série só boa ou só ruim. É uma daquelas séries onde pouco ou nada sentimos.

Até as atuações de Truth Be Told parecem ser forçadas. Talvez porque nada soe muito espontâneo na série. A gente sente claramente que é uma forçada de barra constante, onde o roteiro engessa tudo, ou faz tudo parecer um esquete de standup comedy com cenário. Mesmo as situações mais inusitadas, que deveriam ser mais engraçadas, não funcionam.

Enfim, Truth Be Told é dispensável. Deve ser cancelada em breve. Logo, não se apeguem muito. Nem todo amor que você tinha por “Galera do Barulho” (saudades, SBT moleque…) podem ajudar a ver mais uma comédia da NBC naufragando nessa fall season.