Pense em uma comédia ruim. Agora, pense em uma comédia muito ruim. Agora, imagine New Girl. Agora, pense no lixo. Vá para o chorume dele. É exatamente aí que encontramos The Neighbors, a nova “comédia” da ABC. Finalmente com o seu piloto indo ao ar, podemos confirmar, sem medo de errar, que essa é a pior estreia da temporada 2012-2013.

O argumento da série já prometia ser ruim. O promo, era um lixo. E o piloto consegue ser pior que isso. E não estou aqui considerando minha grande dose de preconceito gratuito que tenho contra a série. Mesmo que ela fosse ótima, acho que teria raiva da mesma de qualquer maneira. Mas a produção original da ABC é tão tosca, tão porcaria, tão “não faz o menor sentido”, que ao final de seu piloto, eu tive vontade de ver séries que eu simplesmente detesto, como 2 Broke Girls e New Girl. Afinal, depois do piloto de The Neighbors, eu reconheço que até essas duas séries não são tão ruins assim.

Do começo: em 2002, uma comunidade alienígena chega na Terra, mas não tem como voltar para casa. O que eles fazem? Compram um bairro inteiro para viverem entre os humanos. Dez anos depois, uma das famílias de alienígenas percebe que o seu líder, Larry Bird (nome fictício, já que tudo indica que os alienígenas não tem nome) (Simon Templeman) não tem competência nem conhecimento para tirar todos eles de lá, e se manda com os recursos que possui, deixando uma casa no bairro livre. Que é comprada por Marty Weaver (Lenny Venito) e sua família. E aí eles entram em altas confusões.

A ideia inicial dos alienígenas era fazer com que a família de humanos não percebessem a sua origem “estrangeira”, mas a ideia não dá muito certo quando o filho cacula dos alienígenas, Dick Butkus (Ian Patrick) resolve revelar a sua verdadeira pele para os filhos pentelhos de Marty. Detalhe: tudo o que Marty queria era “ter vizinhos normais”. Algo que era um pouco difícil quando toda a vizinhança deixa tortas na porta da sua casa, e usam carrinhos de golfe como veículos oficiais.

E se torna impossível ter uma vizinhança normal quando os seus vizinhos são como esses da foto abaixo.

É, amigo… vai me dizer que você não deseja que Deus mande um raio luminoso dos céus para queimar os seus olhos nesse momento? Eu gostaria…

Falando do piloto… é simplesmente horroroso. O argumento é sem pé nem cabeça do começo ao fim. Não faz o menor sentido a chegada dos alienígenas, a saída de uma das famílias (sem nenhuma instrução de como voltar para casa), a permanência dos humanos naquele bairro… bom, se tudo fizesse sentido, a série sequer existia (e me pergunto como esse monte de gosma verde de baixa qualidade foi aprovada), mas mesmo assim… a ABC deu uma bela forçada de barra na tentativa de fazer rir pelas bizarrices intergaláticas.

The Neighbors se torna mais absurda na sua ambientação: todos os alienígenas se vestem de forma padrão, e todo mundo se comporta como se tivesse saído da década de 1950, tanto nos hábitos, costumes, música, literatura, etc. Só que tem alguns detalhes a serem observados. Eles chegaram em 2002, certo? Mesmo que eles tivessem contato com toda a cultura norte-americana do passado, por que diabos escolheram nomes de atletas que foram famosos nas décadas posteriores? Isso, sem falar em todos os hábitos e costumes que só fazem parte dos tempos contemporâneos, como expulsar o marido de casa.

Tá, você tem razão. Estou tentando encontrar explicação em algo que é simplesmente inexplicável. Vou parar com isso.

O pior de tudo é saber que os norte-americanos ficaram curiosos para ver o nível da porcaria que se tratava. The Neighbors teve na sua estreia a elevada audiência de 9.28 milhões de expectadores, com uma demo de 3.3 no público entre 18-49 anos. Ok, grandes merdas como The Cape estrearam com essa audiência, mas sinceramente, tenho medo que o americano médio imbecil compre a ideia dos alienígenas que choram gosma verde pelas orelhas, e essa porcaria ser renovada.

Por fim, quero fazer um registro. O problema não é o tema “alienígenas”. O problema é como isso é executado. Na década de 1990, tivemos uma excelente comédia de uma família alienígena chamada 3rd Rock From the Sun, onde o foco não era cuspir gosma verde em ninguém, nem mesmo fazer todo mundo se vestir igual e ouvir Frank Sinatra. 3rd Rock deu certo pelo ótimo elenco, pelo excelente texto, mas principalmente, por mostrar de forma simples os contrastes culturais e comportamentais entre humanos e alienígenas.

The Neighbors faz essa relação pelo lado do bizarro gratuito, tratando todo mundo como imbecil, ou mostrando que os alienígenas são idiotas e bizarros. Se eu fosse um alienígena, processava a ABC pelo preconceito. Como sou um humano dito inteligente e racional, não vou me dar ao trabalho. Simplesmente não gastarei meu tempo ou dinheiro em acompanhar a série, que tenho plena convicção que será cancelada tão rapidamente quanto outras séries que naufragaram na última temporada.

Conselho para meus amigos, inimigos e trolls: nem passem perto desse lixo.