the-get-down-topo

 

A cara do Baz Luhrmann.

Eu demorei para fazer esse post de primeiras impressões de The Get Down porque estava viajando de férias (muito proveitosas por sinal). Mas tirei um tempo para ver o piloto da nova série musical da Netflix.

E concluo que, quando um profissional deixa a sua assinatura em sua obra, isso pode ser uma faca de dois gumes. Ou a Ruth e a Raquel de todo um processo criativo.

 

A origem e ascensão do hip-hop…

 

the-get-down-netflix

 

The Get Down basicamente conta a história dos primórdios do hip-hop, que tem como cenário principal a Nova York da década de 1970, mais precisamente no bairro do Bronx.

Lá, o movimento musical era algo emergente e intenso. O hip-hop assumiria o papel da disco music na relevância cultural da época, e as vidas dos moradores do bairro seriam profundamente afetadas por conta dessa mudança.

A série mostra o processo de desenvolvimento do estilo musical, ao mesmo tempo que ilustra e relação daquelas pessoas com a arte, a música, a dança e os conflitos sociais.

Sobre esse último, The Get Down ilustra muito bem o cenário comportamental dos moradores do Bronx diante da marginalização dos jovens negros, da ação da polícia e como tudo isso se reflete na manifestação musical e cultural daquela comunidade.

 

…e romance!

 

the-get-down

 

Sem romance e conflitos pessoais? Não seria Baz Luhrmann!

The Get Down romantiza toda essa história que é tipicamente urbana (e, de certo modo, não deixa de ser urbana), combinando temas fortes com declarações de amor de um jovem artista que estava a fim de uma bela moça do bairro.

Não acho esse aspecto de todo ruim. É uma proposta para contar uma história, de suavizar algo que teria tudo para ser muito mais pesado pelo ambiente ilustrado pela série.

Mesmo porque todo mundo viu o que aconteceu com Vinyl (HBO).

 

De qualquer forma…

 

the-get-down-4

 

The Get Down é uma ótima dica para quem gosta de música e história da música. Talvez um piloto de 1h30 seja muito para minha cabeça, mas isso não tira o fato da série apresentar elementos bons o suficiente para que as pessoas prossigam na série sem muitas dificuldades.

A riqueza de detalhes apresentados, somado com as várias referências de cultura pop, resultam em uma série muito bem feita, bem formatada e interessante para se acompanhar.

O que pode faltar é um pouco de tempo para ver tanta série. Se bem que este é tipo de série que merece ser devorada em um final de semana.