rake-fox

Eu confesso que demorei um pouco mais para ver o piloto de Rake de propósito. E confesso que esperava o pior da série, que é uma adaptação de uma série australiana do mesmo nome. Mas parece que a tática é mesmo não esperar nada da série, que é justamente aí que você consegue extrair alguma coisa.

Rake segue a vida de Keegan Deane (Greg Kinnear), um advogado criminal com uma série de problemas pessoais. É recém divorciado (e, para piorar isso, a mulher senta no colo dele para provar que ele é narcisista), não tem casa, vive de favor na casa do melhor amigo (cuja esposa também é advogada), pega casos ridículos… enfim, vida mais desgraçada e f*d*da do que essa, é muito difícil.

Mas espere! Deane consegue complicar AINDA MAIS  a sua situação.

Se já não bastasse dever para o Imposto de Renda, nosso amigo protagonista é viciado em jogos. Até consegue ganhar algum dinheiro, mas ele acaba ganhando de pessoas que não o pagam. Resultado: alguns “amiguinhos” perigosos para quem ele deve estão atrás dele, e eventualmente, Deane acaba com alguns ferimentos e hematomas por conta de suas dívidas.

Eu confesso que me surpreendi com o piloto de Rake. Imaginava que a série fosse ser um verdadeiro desastre, principalmente por conta de Greg Kinnear, que pelo menos no promo, fazia sempre cara de cólicas, não causando muita empatia à primeira vista. Mas como a Fox não sabe fazer promo direito, ao ver o piloto, vi que a história não é bem assim.

Greg consegue fazer um protagonista razoavelmente carismático e divertido, com algumas piadas inteligentes e sarcásticas. Tudo bem, fica fácil fazer piadas com crianças, mas não é só isso. Por exemplo, ele passa o piloto inteiro andando com um cooler que carrega um belo peixe (ou atum), e as piadas com isso até que funcionam.

O piloto não é sonolento (o que é uma ótima notícia para quem assistiu esse piloto logo depois do almoço), e até acho que possa render uma boa série para a Fox. Afinal de contas, faz tempo que uma série jurídica não emplaca no canal da raposa. O duro é que o piloto da série só foi razoável na audiência (6.95 milhões na geral), e como ainda não sabemos como foi a audiência do segundo episódio (que vai ao ar nos EUA hoje, 30 de janeiro), não dá para fazer qualquer tipo de prognóstico sobre a reação dos norte-americanos à proposta da série.

Mas, como um todo, não foi ruim. Rake não é incrível, mas não é o lixo todo que o promo vendeu. Pode ser que, com uma boa dose de boa vontade, acabe vingando. Por outro lado, não se apegue. Não tem nada de muito especial (já que é toda calcada no protagonista), logo, não será surpresa se não sobreviver ao facão do cancelamento.

Mas ao menos veja o piloto. Quem sabe não serve para você?