Na nova série da NBC, somos apresentados à família Braveman. A mãe solteira Sarah (Lauren Graham, “Gilmore Girls”), e seus dois filhos Amber (Mae Whitman, “In Treatment”) e Drew (Miles Heizer, Cold Case”), estão voltando para casa com os pais de Sarah, Zeek (Craig T. Nelson, “CSI: NY”) e Camille (Bonnie Bedelia, “Sordid Lives: The Series”). Julia (Erika Christensen, “Robot Chicken”), irmã de Sarah e completamente o oposto, é uma advogada bem sucedida tentando fazer as duas coisas, o trabalho e a maternidade, ao lado de seu marido ‘dona-de-casa’, Joel (Sam Jaeger, “Eli Stone”).

O irmão mais novo de Sarah, Crosby (Dax Shepard, “King of the Hill”) irá ter que se comprometer com as responsabilidades de um adulto, quando seu antigo amor, Jasmine (Joy Bryant, “Virtuality”) aparece com um garoto. Enquanto isso, o irmão mais velho dos Braveman, Adam (Peter Krause, “Dirty Sexy Money”), sua esposa Kristina (Monica Potter, “Trust Me”) e sua filha adolescente Haddie (Sarah Ramos, “Ghost Whisperer”) descobrem que seu garotinho Max (Max Burkholder, “Private Practice”) tem síndrome de Asperger.

Apesar de cada irmão ter seus próprios problemas, esta reunião pode ser o empurrão que precisavam para ajudar uns aos outros com os desafios que cada família enfrenta para criar os filhos e começar de novo.

A série me pareceu promissora. A trilha sonora dá o tom de importância de cada momento. Ao som de Bob Dylan as cenas mostram, e nos fazem refletir, sobre cada grande momento que provavelmente todos nós passamos em nossas vidas. Parenthood é sobre filhos. E sobre seus pais. E sobre pais e filhos. Como existem três gerações na família Braveman, essa mistura de experiências, e também inexperiências, acaba tornando a série cativante, pois fala do cotidiano da vida de todos nós. Vale a pena conferir!