Vocês foram avisados!

E nós aqui do SpinOff também avisamos: Last Resort, uma das estreias do canal ABC para a próxima temporada, entra na nossa lista de séries aprovadas, ou que, pelo menos prometem vingar. Nós aqui do blog já apostávamos no sucesso da produção no promo, e o piloto só reforçou essa aposta, sendo melhor que as expectativas criadas.

A história, de forma resumida: um submarino norte-americano, considerado um dos mais bem equipados do mundo, recebe uma ordem para disparar quatro mísseis de destruição em massa contra o Paquistão. Como a tripulação não recebeu nenhuma declaração de guerra vinda do presidente dos Estados Unidos, ou nenhuma ordem direta do Secretário de Defesa, eles desconfiaram de onde essa ordem estaria vindo, e o capitão Marcus Chaplin (Andre Braugher) insiste para receber uma ordem direta de um superior máximo.

De fato, há uma conspiração rolando por trás de tal incidente, com objetivos reais que vamos descobrir ao longo da temporada. Marinha dos Estados Unidos, empresas fornecedoras de armamento bélico e até o alto escalão do governo norte-americano estão interessado em um conflito bélico com qualquer país, até mesmo o pequeno Paquistão. Sabendo dos danos que tal armamento poderia causar ao país, Marcus se recusa a executar a ordem. Logo, é substituído pelo Comandante Sam Kendal (Scott Speedman), que passa a ser o responsável pelo submarino. Por sua vez, Sam também não acredita na ordem que está recebendo. E o submarino inteiro sofre as consequências.

Resultado: eles vão parar em uma ilha até então desconhecida, em uma comunidade que já possui o mínimo de tecnologia para que eles possam se comunicar com o mundo exterior, e são considerados pelo governo dos Estados Unidos desertores. Para complicar ainda mais a situação, como todo soldado norte-americano, eles chegam na ilha com o “pé na porta, tapa na cara”, sem respeitar que a tal ilha já tem um dono. Ou seja, mais conflitos estão vindo por aí.

Falando do piloto em si, acho que Last Resort foi muito bem para iniciar a sua história. Em termos de produção, não há o que discutir: a ABC fez a lição de casa direitinho. Nada muito ostentoso (tirando a primeira cena do piloto, e mesmo assim, foi muito boa), reproduzindo bem o interior de um submarino (bem o suficiente para que você queira trabalhar em um submarino, justamente por ser legal), e até mesmo as cenas da ilha foram bem feitas. E não… apesar da série ser filmada no Havaí, você não vai se lembrar de Lost ao ver Last Resort. Fique tranquilo.

Acho que o ponto mais positivo da série é esse questionamento do “até onde toda ordem deve ser executada?”, ou “até onde vai o cumprimento do dever pelo meu país?”. Apesar do texto da série ser razoavelmente bem mastigado para maior compreensão do público, os diálogos de Last Resort são bons (principalmente o do final do piloto), e puxam bem a trama para aquela linha de conspiração que a trama se propõe, e que uma série militar precisa ter.

Por fim, Last Resort é a primeira série que podemos dizer que vale a pena acompanhar. Se você curte séries do gênero militar, ou séries de ação, investigação e tramas do governo, você certamente vai gostar. Para quem fica meio receoso com séries desse tipo, e acha que vai cair em um “drama procedural”, do tipo “caso da semana”, a série não tem esse tom. Pela qualidade da produção, pelo bom elenco, e pela proposta de trama apresentada, vale a pena acompanhar sim. Não dá para afirmar que essa vai ser uma das melhores estreias da temporada, mas pelo menos o seu piloto se mostra como um porto seguro.

E isso não é um trocadilho (afinal, a série fala também de um submarino… sacaram?)