Olha, vou confessar um “giuty pleasure” para vocês: apesar de eu achar que Guys With Kids definitivamente não vai vingar, e ser fraca como comédia… eu até que dei umas risadas com o piloto. Mas fiquem tranquilos: eu não vou acompanhar a série.

A sitcom idealizada por Jimmy Fallon (SNL) conta a história de três pais, com três perspectivas diferentes de convivência com os filhos. Chris (Jesse Bradford) é o recém divorciado, que era casado com uma mulher controladora, Sheila (Erinn Hayes), que ainda precisa descobrir como cuidar de uma criança de apenas nove meses de idade (e lidar com a chata da esposa pegando no pé). Nick (Zach Creggger), é o pai descolado, bem sucedido programador de computadores, casado com Emily (Jamie-Lynn Sigler), que aproveitaram a boa fase para ter o segundo filho. Já Gary (Anthony Anderson) tem a vida mais atribulada, pois já está no quarto filho com Marny (Tempestt Bledsoe), e é ele quem cuida da tropa enquanto a esposa trabalha.

A ideia da série não é algo que podemos chamar de novo. Temos vários exemplos na história da TV norte-americana que contam como é difícil pais assumirem o papel de mães e cuidarem dos filhos. Podemos ir de The Andy Griffith Show até Blossom se você quiser. A diferença aqui é que temos bebês sendo levados de um lado para outro pelos pais, e uma perspectiva masculina leve, com situações que a maioria dos pais de primeira viagem passam, como “quem vai ficar com o bebê quando o pai divorciado tem um encontro em um jogo de basquete”, ou “cuido de todos eles, e não tenho folga nem mesmo para transar com a minha esposa no banheiro”.

Como disse antes, me diverti com Guys With Kids, mas não acho que a comédia da NBC vai em frente. Apesar de até acreditar que a série tem dois fortes apelos para atrair o público (a assinatura de Jimmy Fallon, que é adorado pela audiência do canal do pavão, e o tema de “pais cuidando de seus bebês”), o “todo” do piloto é bem insípido e bobo. Tá, é uma comédia leve, e foi feita para ser de fácil compreensão. Mas as cenas onde os marmanjões brincam de “hi-five” as crianças não são graciosas. Aliás, ainda bem que existem dublês de bebês hoje em dia. Essas crianças apareceram na maior parte do piloto. Logo, devem ter sofrido com o ritmo das gravações.

Guys With Kids vai no vácuo do momento da TV norte-americana, de fazer comédias familiares. Deu certo com Modern Family e com Raising Hope. Logo, vamos apostar nesse estilo, porque os americanos vão gostar. Tudo bem, não é nenhum pecado fazer isso. Mas se o texto da série não melhorar, e até mesmo alguns argumentos da própria série não se tornarem menos óbvios (por exemplo, o pai indo para o encontro escondido da ex-esposa, que não queria uma babá para cuidar do filho…), onde você já prevê o resultado momentos depois, a tendência dela é naufragar.

Não me vejo dando muitas chances para a série de Jimmy Fallon, mas sei que vai ter muita gente que vai gostar. Por causa do tema, e por causa do Jimmy Fallon. Fico mais na torcida pela melhora da série. Até vejo ela caindo no gosto de todos, por causa dos bebês. Um ponto positivo da série é que os personagens masculinos até que estão bem aceitáveis no piloto, com um bom timing, e fazendo as piadas renderem de alguma forma. Mas o geral precisa melhorar.

Até que Guys With Kids saiu com saldo positivo. Não é a bomba que o promo me vendeu no meio do ano.