fwbl

How I Met Your Mother chegou ao fim, e enquanto as pessoas tentam descobrir se gostaram ou odiaram o final da série, a CBS apresentou a série que tem a complicada missão de substituir a comédia da história do Ted e seus amigos. Porém, Friends with Better Lives não quer ser o novo How I Met Your Mother. Ela quer é ser o novo Friends mesmo. Literalmente.

Estamos diante de uma nova comédia de relacionamentos, que mostram seis amigos que estão em diferentes estágios de suas vidas, e acreditam cegamente que a vida do outro está melhor que a sua. Will (James Van Der Beek) é o recém divorciado, que vive de favor/encostado na casa dos amigos Andi (Majandra Delfino) e Bobby (Kevin Connolly), um suposto casal feliz, que busca resgatar os dias felizes da relação, quando eles eram jovens e descomplicados.

Ao trio, se juntam Jules (Brooklyn Decker) e Lowell (Rick Donald), um casal que recém entrou no estágio de noivado, com um comportamento típico de casal apaixonado (aka estranhos), e Kate (Zoe Lister-Jones), uma mulher bem sucedida na sua carreira, mas um fracasso completo nos seus relacionamentos amorosos.

Juntos, esses amigos vão viver todas as idas e vindas na tentativa de melhorar suas vidas em vários aspectos. Se vão conseguir, é outra história.

Ok, vamos lá. O piloto de Friends with Better Lives não é ruim, mas é fraco. Me fez rir em alguns momentos pontuais (a piada da chegada de Andi na sua festa de aniversário é a melhor do piloto), mas deixa a desejar em outros momentos. Entendo que a série ainda tem a engrenar e apresentar ao espectador, mas levando em consideração que a CBS já renovou praticamente tudo na sua grade de programação, já é possível dizer que a missão da série é bem árdua.

Não dá para pontuar grandes problemas no piloto. Sua linearidade justifica até mesmo que a série fosse aprovada. O texto, de um modo geral é bem sacado, mas os personagens precisam tomar corpo. A melhor personagem do piloto é, disparada, a Kate, que não só é a solteirona da turma, mas tem todo o sarcasmo que uma solteirona recalcada possui. Aliás, ela é o mote das melhores piadas do piloto.

Do mais, Friends with Better Lives precisa mesmo passar por uma segunda avaliação. Recomendo que, se você passar do piloto (sim, é possível imaginar alguns torcendo o nariz logo de cara para a série), recomendo que vocês vejam pelo menos mais dois episódios da produção, para definir se vale a pena seguir em frente ou não. Particularmente, farei isso. A série é mais uma daquelas que não vai mudar sua vida, não vai substituir How I Met Your Mother na sua preferência, e muito menos deve alcançar o prestígio e qualidade de Friends. Mas ao menos torço para que ela seja capaz de andar com as suas próprias pernas.

Em perspectiva, colocando Better Lives lado a lado com Surviving Jack, posso dizer que, mesmo devendo, a nova comédia do James Van Der Beek tem mais chances de sobreviver.