Flaked

E temos a nova comédia de Will Arnett. Tudo nas costas dele. Praticamente o tempo todo.

Flaked é a outra estreia de comédia na Netflix, ao lado de The Ranch. Essa série em questão é produzida e protagonizada por Will Arnett, aquele mesmo que disse que os norte-americanos ‘não entenderam a piada’ em Running Wilde (onde eu prefiro ser burro do que entender que aquilo era uma piada). Dessa vez, encaramos uma proposta que é mais voltada para o humor negro, que pode conquistar os corações mentes mais ‘espiritualizados’, por assim dizer.

Arnett interpreta Chip, um membro dos Alcoólicos Anônimos que acredita que pode inspirar outras pessoas a seguirem pelo caminho da sobriedade. Faz testemunhos de fé no estilo ‘Jesus salvou a minha alma’, sendo uma espécie de guru para pessoas mais fracassadas na vida do que ele. Porém, Chip não é tão iluminado assim. A única boa coisa é que ele está sóbrio. E talvez esse seja o seu grande problema, já que é sóbrio mesmo que ele apronta alguns dos seus absurdos.

Chip não pode dizer que leva a vida típica de um guru/conselheiro de almas errantes. Mente descaradamente, deve horrores no aluguel, não consegue manter uma vida romântica regrada (porque não quer), e na última acaba se interessando pela menina que o amigo está de olho, mesmo pegando uma ninfetinha que ele não quer que ela se apaixone. Isso tudo torna a sua vida movimentada e atribulada, e é essa rotina descolada/desorganizada é o que vamos acompanhar ao longo dos episódios.

Flaked

Todos os episódios são escritos por Will Arnett e Mark Chappell, e Flaked tem uma linguagem mais descolada e desencanada, combinando com o clima de Venice Beach. A estética da série reflete isso, e em termos de produção não podemos dizer que eles acertaram em cheio nessa proposta em oferecer uma série mais descontraída para todos.

Sobre o texto, Flaked é uma comédia de humor negro, onde as piadas não aparecem de forma tão evidente, mas podemos identificar bem as ironias da vida que Chip e as pessoas que os cercam levam. Porém, a série tende a ser tão pensada no humor negro, que esse humor acaba desaparecendo em alguns momentos, só lidando com as ironias propostas nas situações. É uma série, nesse aspecto, até lembra algumas comédias mais conceituais da HBO. Não que seja uma série do mesmo nível, mas a lembrança é inevitável.

Em linhas gerais, é o tipo de série que ‘ou você ama, ou você odeia’, literalmente. Não existe meio termo para Flaked. Entendo que não é uma série para o grande público, e eu mesmo só fui aceitando melhor a sua ideia geral do meio do episódio piloto em diante. Vale a pena ao menos insistir em dois ou três episódios. Entendo que os mais acostumados com esse formato de comédia das ironias da vida não terão muitas dificuldades em conferir em uma tacada só os oito episódios dessa temporada.

Até porque temos que lembrar para o Will Arnett que ou é isso, ou só terá emprego depois no filme LEGO Batman. E, mesmo assim, ninguém se importa com o Batman da LEGO.