devious-maids

Vou começar com um (com todo o respeito) “Marc Cherry, seu FDP, você conseguiu de novo!”. Minha animação para NÃO ver o piloto de Devious Maids era gigante. Mas depois de 43 minutos, eu me dei conta do quão genial e diabólica é a mente por trás do criador de Desperate Housewives. E como ele deixou na cara de todo mundo a mensagem “vamos ver o outro lado da história”.

Vamos te inteirar dos fatos. A série conta a história de cinco empregadas domésticas, que trabalham em algumas das casas mais ricas de Beverly Hills. Elas precisam lidar com os seus dramas pessoais (baixos salários, desprezo das patroas, a filha que não está no país, a filha empregada dando em cima da filha da patroa…), além de lidar com as excentricidades de seus respectivos patrões. Ah, e com Susan Lucci (entendedores entenderão).

Série comum, certo? ERRADO! Como eu disse no começo do post, Marc Cherry é um diabinho. Pegou quase todos os elementos já vistos no seu maior sucesso na TV (Desperate Housewives) e decidiu contar tudo de novo, só que pela perspectiva das empregadas. Ou seja, nós saímos de um “Donas de Casa Desesperadas” para um “Empregadas Desesperadas” (ou nesse caso, “Empregadas Diabólicas”).

Explico: são cinco empregadas. Quatro delas já eram amigas de longa data, de ficar conversando sobre a vida dos patrões nas folgas no parque local (no lugar do chá da tarde das amigas de Wisteria Lane). Uma quinta empregada, Marisol (Ana Ortiz), entra na história. Na verdade, Marisol é parte importante do segredo que é o plot inicial da série: por que o seu filho assassinou a sangue frio Flora (Paula Garcés), que era amiga daquele grupo de empregadas, e que foi estuprada por um de seus patrões?

Pescaram as similaridades? Grupo de amigas, assassinato no episódio piloto, mistério a ser desvendado… monte as peças.

Na verdade, Cherry embaralhou as peças do piloto de Desperate Housewives, colocou tudo na perspectiva das empregadas, eliminou uma personagem descartável, colocou uma quinta elementa para dar liga em tudo… e pronto! Temos o piloto de Devious Maids.

Devious_Maids_

Antes de dizer se o piloto é bom ou não, é preciso enfatizar algumas coisas. A primeira é que a série é uma produção da ABC Studios em parceria com a Televisa International, para o canal Lifetime. A segunda (e a mais importante) é que Eva Longoria está na produção executiva desse negócio. Na verdade, acho que foi mais uma tentativa de adaptar um sucesso latino para a TV norte-americana (Devious Maids é uma adaptação da série mexicana Ellas Son… La Alegria del Hogar). Ou seja, a proposta da série é claramente tomar o público latino de assalto, sem dó, nem piedade.

Dito isso… o piloto tem momentos péssimos… mas, mesmo assim, vai alcançar o seu objetivo de conquistar o público latino.

Explico de novo: Marc Cherry colocou todos os clichês latinos possíveis e imagináveis. Tem até um esteriótipo meio rude no piloto (“eu nunca vi ninguém nessa profissão – de empregada – que não tivesse um sotaque latino”, dispara uma das patroas malucas da série), além da empregada que quer ser cantora de sucesso, da periguete dando em cima do filho da patroa, e até a piada mais cretina de todas, que mostra como a patroa dondoca não dá a mínima para a empregada: “quem é que vai limpar essa bagunça?”, em tom histérico.

Sem falar que ele já lançou alguns mistérios a serem desvendados ao longo da temporada, algo que sempre prende o telespectador (ainda mais a mamacita latina noveleira que mora nos Estados Unidos). Complemente essa proposta a um elenco que o público latino se identifica (como Ana Ortiz, Dania Ramirez e Roselyn Sánchez), e pronto: temos um sucesso garantido.

Ah, e não posso me esquecer: tem a Susan Lucci na série. NÃO TEM COMO DAR ERRADO!

No final das contas, Devious Maids “deu a volta”. É tão clichê, tão forçado, tão absurdo, tão sem sentido algum para nós, meros mortais que não temos a capacidade de abrir a nossa mente para esse tipo de série, que é boa. É uma série que não se leva à sério (mesmo tendo um mistério relativamente sério a ser desvendado), tem um piloto com um tom menos sombrio que Desperate Housewives, mas segurou todos os elementos de Wisteria Lane, mas mostrando o outro lado da história.

É a novela das empreguetes, só que melhorada. Se gostou de Desperate Housewives e tem uma mente mais aberta para o fator diversão, as chances de gostar de Devious Maids aumentam consideravelmente.