Cooper-Barretts-Guide-topo

Comédia nonsense, com personagens sem noção, de um canal louco por comédias sem o menor sentido.

A Fox apresenta Cooper Barrett’s Guide to Surviving Life, uma série de nome longo demais para as pessoas se lembrarem com facilidade. Mas que com uma boa dose de boa vontade, será lembrada pela falta de noção do seu plot principal e dos seus argumentos. A esperança do canal é que a sua audiência do domingo a noite comprem a ideia de uma comédia mais despojada e descomplicada, mas que ao mesmo tempo oferece um roteiro um pouco mais ágil e versátil.

A questão é: essa comédia consegue manter o seu ritmo ao longo de 20 minutos de episódio?

Cooper Barrett’s Guide to Surviving Life mostra a vida de (obviamente, e também não poderia ser muito diferente disso) Cooper Barrett (Jack Cutmore-Scott), um jovem adulto que, ao se formar, já tinha em mente tudo o que iria fazer de sua vida nos próximos 10 anos. Ele acreditou que tudo simplesmente iria dar certo, que o diploma iria abrir portas, e que ele simplesmente não iria precisar de sorte para ter sucesso na vida.

Bom… não foi assim que tudo aconteceu.

10 anos se passaram, e podemos dizer que Cooper Barrett é um f*d*d* de marca maior. Não que ele seja um imbecil. Ele não é. É um cara inteligente (o que não quer dizer que ele é esperto), articulado, boa pinta, consegue conversar com uma mulher sem se enrolar (ou causar um ataque de riso nela)… enfim, tudo mais ou menos no lugar e funcionando. Porém, Cooper é um verdadeiro imã para encrencas e confusões das mais diversas. E o mais importante: nos cenários mais constrangedores possíveis.

Seus melhores amigos não ajudam muito. Neal (Charlie Saxton) é um nerd mais baixo que a maioria das pessoas que ele conhece, que quer se apaixonar. Nessa tentativa de ser feliz e se sentir amado por alguém, ele acaba encontrando as figuras mais estranhas que você pode imaginar. E normalmente os seus relacionamentos acabam se transformando em fracasso.

Já Barry (James Earl) não consegue ficar longe de encrencas. Arruma confusão por qualquer coisa: desde quando falam do preto da sua nova TV de LED quanto o fato dele levar cinco anos para “recuperar” a TV roubada que ele tanto amava.

A “salvação” de Cooper é o seu irmão mais velho, Josh (Justin Bartha), que apesar da vida de casado com dois filhos, vê no irmão a possibilidade de realizar o sonho de aproveitar a juventude ou o início da vida adulta da forma mais intensa possível. E ele diz isso porque achou que até agora a sua vida foi bem monótona. Logo, a esperança dele viver um pouco mais é justamente o irmão mais novo.

A série vai mostrar como Cooper consegue sair das maiores ciladas de sua vida, e como as suas escolhas podem gerar consequências catastróficas e hilariantes.

Cooper-Barretts-Guide

Apesar de não ser a comédia nova que vai mudar sua vida, achei o piloto de Cooper Barrett’s Guide to Surviving Life bem honesto e diferente. E talvez seja por isso que tem saldo positivo: por ele ser diferente de muita coisa que temos na TV hoje. Em uma temporada onde pouquíssimas comédias vingaram e/ou efetivamente divertiram a audiência, a nova comédia da Fox mostrou algo um pouco diferenciado, o que foi o suficiente para me agradar e até quem sabe persistir na produção.

O piloto em si é bom, com diálogos ágeis, argumentos bem interessantes e as tradicionais viradas de argumentos que nesse tipo de série cai bem. O piloto tem um certo senso de urgência nos acontecimentos, o que nesse caso não é algo negativo. Cooper Barrett’s Guide to Surviving Life parece ter uma pegada do tipo “Se Beber Não Case”, o que particularmente me agradou muito. Não estou aqui querendo comparar esta série com o filme, mas posso dizer que a produção da Fox bebeu dessa fonte para poder inspirar algumas de suas situações na linha.

Outro ponto positivo de Cooper Barrett’s Guide to Surviving Life  é a presença de participações especiais das mais diversas, como por exemplo com Paula Abdul, Alan Ruck, Jane Kaczmarek e Parker Young. Isso fatalmente vai atrair os olhares dos mais curiosos, mas é a rotina diária que vai determinar se a série se sustenta por si, ou em função de eventuais incômodos, como as saídas no final de semana.

Por fim, Cooper Barrett’s Guide to Surviving Life  é um piloto que está aprovado, dentro de suas perspectivas e objetivos. Acho que é uma série que é bem a cara da Fox em oferecer comédias sem muita noção ou pé de cabeça. Se a audiência comprar a piada da mesma forma que fez com The Last Man on Earth, entendo que esta série não deve ter grandes dificuldades para encontrar o Sol da renovação.