Beowulf

Todo mundo quer um Game of Thrones para chamar de seu…

O ITV apresenta ao grande público a história de Beowulf (ou no nosso caso aqui, Beowulf: Return to the Shieldlands), uma drama épico de fantasia, baseado no poema de mesmo nome. É uma adaptação que repagina os acontecimentos do poema, com novos personagens e plots, para criar uma história inédita, mas que apresente a essência da estrutura narrativa original.

Dito isso, o ITV busca alcançar o público que está consumindo esse tipo de história em outras mídias, principalmente na literatura. Apostar em um drama épico fantástico é o que chamo de “aposta segura”, pois pelo menos no seu início teremos um público interessado em conferir os resultados apresentados por essa adaptação. Até aí, nada demais, pois o objetivo final da televisão é obter audiência (além de pagar salários altíssimos para o Jim Parsons).

A boa notícia é que os britânicos conseguem fazer a coisa bem feita, sem avacalhar ou com resultados que você queira se esconder da televisão de tanta vergonha alheia. Beowulf: Return to the Shieldlands tem um piloto bem estruturado, conta a sua história de forma correta, apresentando os personagens (quase) didaticamente, mostrando suas motivações do passado, e dando o gancho necessário para que os mais interessados queiram voltar para ver o próximo episódio.

Outro ponto a ser elogiado na produção britânica é que, mesmo sabendo que a série tem vários efeitos visuais (principalmente os monstros criados por computador), nada que é inserido digitalmente agrediu as minhas retinas. Quero dizer, você sabe que não é nenhum monstro mecânico ou um cara fantasiado de monstro, mas sim um elemento inserido digitalmente. E, mesmo assim, você não fica com aquela impressão que tudo foi feito por um moleque de 16 anos que utiliza o Movie Maker para editar seus vídeos, tal como aconteceu recentemente com o piloto de Shadowhunters.

beowulf-cast

De fato, parando para pensar friamente, não é um piloto ruim. Beowulf: Return to the Shieldlands tem um bom piloto, em todos os aspectos. Talvez o grande lance é que estamos diante de mais um drama de fantasia, gênero que é explorado a exaustão pelos canais em suas novas produções. Compreendo que existe público para esse tipo de série, e que muita gente está consumindo esse tipo de história. Mas é uma tendência que começa a demonstrar sinais de desgaste. Assim como acontece hoje com os realitys musicais. Já vejo gente dizendo “ah, meu Deus, mais uma série ‘Game of Thrones wannabe chegando…'”, e isso não ajuda em nada.

De qualquer forma, Beowulf: Return to the Shieldlands é um trabalho que está na média. Garante um bom entretenimento ao público interessado, mostra um piloto consistente e bem organizado, com uma história que aparenta ser bem concebida para o público ao qual está destinado, e com uma perspectiva de desenvolver um plot interessante para essa primeira temporada.

Acho realmente difícil o ITV cancelar a série logo de cara, pelo menos diante do que o piloto apresenta. Aliás, é difícil ver séries britânicas sendo canceladas com a velocidade que vimos (por exemplo) a ABC cancelar Wicked City. Entendo que, para quem é fã dos dramas épicos de fantasia, Beowulf: Return to the Shieldlands é uma boa pedida. É claro que não estamos diante de uma série com o mesmo nível de produção e complexidade de trama que Game of Thrones, mas com uma boa dose de boa vontade e menor nível de exigência os fãs da série da HBO podem gostar dessa aqui.

Se você viu o piloto, comente na área de comentários. Diga o que você achou sobre essa nova produção da TV britânica.