revenge-spinoff-abc

Não deveria ser eu a escrever esse post, e sim o senhor Eduardo Sacer. Mas tudo bem, prometo fazer o meu melhor. De qualquer forma, saiba você, fã de Revenge, que ao menos um spinoff parcial poderia vingar, visando mostrar os acontecimentos após o final de Nolan, chamado Kingmakers.

Parte dos motivos do ‘não rolou’ foi porque a produtora de Revenge, Sallie Patrick, estava desenvolvendo Kingmakers, um piloto de um drama para a mesma ABC. Mas Sunil Nayar, showrunner da Avenida Brasil dos Hamptons, disse em maio que a ideia para um spinoff envolvia deslocar um ou dois personagens de Revenge para a nova série, construindo a segunda produção de forma que ela fizesse parte do universo da primeira.

O piloto tinha no seu elenco Kristin Bauer van Straten, Adrian Pasdar, Michael Trevino e Colin Woodell, e não foi aprovado para a temporada 2015-2016. Mas Paul Lee, presidente da ABC Entertainment, disse que apesar de não ter aprovado o piloto de Kingmakers, entende que a série tem um grande argumento, e que eles podem tentar de novo para uma aprovação para a próxima temporada.

Vale lembrar que um spinoff de Revenge não necessariamente significa a volta de todos os personagens que vocês amam. Pelo contrário. Um bom spinoff é uma série (ou podcast) independente, que assume a sua condição de vida própria, e que, com sorte, alguns desses personagens voltam para dar o ar de sua graça.

Um bom exemplo de spinoff bem feito é Better Call Saul. Tem o Saul Goodman (personagem central da trama, logo, tinha que existir de qualquer maneira), Mike Enthrauth, uma ou outra aparição pontual de personagens secundários da série… e só. ‘Walter White?’, perguntam os fãs. Só lá na frente, da terceira temporada para frente. Vince Gilligam, criador da série (e de Breaking Bad), quer que essa nova história crie corpo próprio, consolide sua base de fãs, para só depois entregar aquilo que eles desejam.

Uma estratégia interessante. Até porque – e tal como já afirmamos aqui no blog -, Better Call Saul, definitivamente, não é Breaking Bad.

No caso de Revenge, um spinoff da série centrado em Nolan… seria bacana? Os fãs deviam responder essa pergunta – e é por isso que esse post precisava ser escrito por Eduardo Sacer -, pois acompanharam as quatro temporadas da série. E um spinoff não quer dizer em absolutamente nada a volta de personagens como Victoria Grayson (que morreu na série original) e de Amanda Clarke (cuja atriz vai fazer carreira nos filmes da Marvel, como sobrinha da Agente Carter).

A ideia de um spinoff visa capitalizar em cima de uma série que faz sucesso no mundo todo. Acho até que Revenge – que nunca caiu no meu gosto – deu certo não apenas pela proposta novelesca, mas também por ser acessível para audiências de todo o planeta. Não é pecado a ABC pensar em um spinoff. Desde que eles saibam o que estão fazendo. Se for o show de horror que muita gente contou que virou Vingancinha nas duas últimas temporadas, é melhor nem pensar em um spinoff.

Deixa quieto. É melhor.