super-maquina

 

E lá vamos nós… de novo…

Em mais um post da série “a criatividade na TV norte-americana acabou, e só não vê quem não quer”, foi aprovado um reboot de Super Máquina (Knight Rider), que será desenvolvido pelo cineasta Justin Lin, o mesmo da franquia de filmes Velozes e Furiosos.

O projeto será exibido pelo canal de vídeos criado por Lin, YOMYOMF, mas tem o apoio da NBC Universal para a produção.

Mas isso não importa muito. O que realmente importa é: precisamos disso?

 

Eu acho que não, mas…

 

Não que eu não quisesse que isso acontecesse. Eu via sempre Knight Rider (a original) quando era criança, e depois de adulto eu dei uma chance para o remake da série, produzido pela NBC.

Mas… como fazer com que uma série que já está com fórmula mais que batida vingue em tempos onde muitos pensam “eu já vi e não quero ver de novo”?

Sem falar que tal medida só mostra que as produtoras de séries estão apostando sempre no caminho mais fácil e óbvio: lidar com os saudosistas.

Ter tantos reboots, remakes e revivals mostram que o público mais velho é quem consegue ficar mais horas diante da TV, enquanto que os segmentos mais jovens da população está mesmo na internet.

Pode ser até que a série vingue, mas buscar o público mais novo é algo complicado.

Até porque a audiência mais nova quer o novo. E a fórmula da Super Máquina é uma das mais manjadas da TV.