The Big Bang Theory

 

The Big Bang Theory (CBS) está garantida até a 12ª temporada, pelo menos. A renovação foi anunciada, depois de uma longa negociação com os membros do elenco, onde de forma surpreendente cinco dos sete membros do elenco principal (Jim Parsons, Johnny Galecki, Kaley Cuoco, Simon Helberg e Kunal Nayyar) decidiram reduzir seus salários em favor das colegas de elenco Mayim Bialik e Melissa Rauch.

Por que isso aconteceu? Vários fatores influenciaram.

 

O acordo é incomum mesmo. Ninguém quer perder dinheiro nessa vida. E, nesse caso, ninguém vai realmente “perder” dinheiro. Ou até mesmo deixar de ganhar.

The Big Bang Theory é hoje a comédia mais vista nos Estados Unidos, e uma das mais vendidas no planeta. Sem falar nas vendas de syndication dentro dos Estados Unidos. A Warner Bros. e a CBS ganham rios de dinheiro com a visibilidade que a série recebe.

Além disso, seu elenco recebe vários prêmios. Parsons e Bialik já ganharam Emmy Awards e são indicados todos os anos. Isso ajuda na visibilidade da série, além de agregar valor para todos os envolvidos.

Porém, The Big Bang Theory se tornou uma série cara. Não por conta dos seus custos de produção, mas principalmente por causa dos salários do elenco. Jim Parsons, Johnny Galecki, Kaley Cuoco, Simon Helberg e Kunal Nayyar, que estão juntos desde o começo da série, recebiam os astronômicos salários de US$ 1 milhão por episódio. Nem precisa fazer contas exageradas: só com os cinco, os custos salariais alcançam absurdos US$ 110 milhões por temporada. É dinheiro que muito filme de Hollywood não vê (La La Land, indicado ao Oscar 2017, custou um terço disso).

Já Mayim Bialik e Melissa Rauch chegaram na série na terceira temporada, e foram promovidas para o elenco fixo uma temporada depois. Contam com acordos salariais diferente dos demais colegas de elenco, e estavam com uma desvantagem salarial enorme: ambas recebiam apenas US$ 200 mil por episódio. É um bom salário sim, mas muito abaixo do que os demais. E as duas mereciam essa compensação. Principalmente Bialik, quatro vezes indicada ao Emmy Awards.

 

Aqui, a matemática mais ampla se faz presente.

A CBS propôs uma redução salarial de 10% no salário dos cinco veteranos. Esse dinheiro foi destinado para aumentar os salários de Bialik e Rauch (US$ 250 mil a mais para cada uma, por episódio), e os US$ 50 mil restantes a CBS cobriria. E todo mundo aceitou.

Era razoável para todos.

Sem falar que muitos do elenco principal de The Big Bang Theory estão com carreiras encaminhadas. Jim Parsons, no cinema e com o voice over de Young Sheldon (spinoff de TBBT), vai ganhar um segundo salário. Galecki já tem piloto pendente na própria CBS. Helberg também está com rota traçada no cinema. Cuoco nem tem problemas em fazer campanhas publicitárias….

Logo, o que são US$ 100 mil a menos para quem está ganhando uma bala por diversas formas?

 

Além disso, nesse momento, para a CBS e Warner Bros. é mais que interessante manter a comédia no ar. Muito provavelmente essa pode ser a última renovação de The Big Bang Theory, pelos motivos que citei no segmento anterior. No máximo pode haver mais uma renovação, com um número menor de episódios, para finalizar a série. No mesmo estilo que Friends fez nos dois últimos anos.

Ou seja, a matemática explicou por que o elenco de The Big Bang Theory aceitou uma redução salarial nesse momento.

Porque ninguém aqui vai perder. Pelo contrário: todos os envolvidos vão ganhar muito nos próximos dois anos.