Popstar

Popstar é a nova proposta de entretenimento musical que a Rede Globo oferece para as tardes de domingo. O canal quer mesmo consolidar o horário que antes era ocupado por Esquenta (que descanse em paz e nunca mais volte) como o horário dos realitys musicais.

Afinal de contas, durante um tempo o The Voice ocupou esse horário, que depois foi ocupado pelo The Voice Kids por duas temporadas, e que depois fez com que a segunda temporada de Superstar fosse cancelada (sim, você não sabia disso?).

Mas diferente dos demais realitys musicais citados no parágrafo anterior, Popstar tem na sua lista de competidores alguns dos artistas contratados da Rede Globo. Isso foi feito para diferenciar esse programa do The Voice (pois se colocassem anônimos as semelhanças entre os dois formatos seriam várias), e para atrair o público que hoje dá audiência para o Dança dos Famosos, um dos segmentos mais populares do Domingão do Faustão (sic).

A estratégia pode dar certo? Claro que pode. Afinal de contas, estamos falando da Rede Globo.

Porém, isso não quer dizer muita coisa para mim.

Eu não tenho muita paciência para ficar assistindo por duas horas “talentos musicais” do porte de Alex Escobar, Lúcio Mauro Filho, Eduardo Sterblitch, Murilo Rosa e Thiago Fragoso. Por mais que todos eles cantem muito bem, não me acrescentam nada de novo. Mesmo porque se eles fossem realmente cantores, não seriam atores.

Entendo que algumas pessoas do elenco da competição contam com alguma intimidade com a música, como são os casos de Rafael Cortez e Sabrina Parlatore. Mesmo assim! É um programa que não me desceu, e que entendo poder viver muito bem sem ele.

O fato do reality contar com uma bancada de jurados diferente (com pessoas que podem ou não entender de música, já que depende muito mais da popularidade da personalidade em questão) a cada programa também não ajuda. Entendo a proposta de uma avaliação mais dinâmica e diferentes pontos de vista sobre o mesmo tema, mas não consigo chamar tal estratégia de “inovação” no formato dos realitys musicais.

Por fim, Popstar é basicamente uma versão alternativa do Esse Artista Sou Eu, exibido pelo SBT, cujo formato foi comprado depois pela Rede Globo, que acabou exibindo depois o Show dos Famosos, que nada mais é do que uma adaptação desse programa que estreou hoje (9).

Sinceramente, eu prefiro ver os talentos musicais genuínos. Aquelas pessoas que estão lutando e ralando para fazer música no Brasil.

Mas para quem vai ficar firme em Popstar porque entende que não tem nada melhor para ver na TV no domingo depois da macarronada com a avó (ou porque entende que qualquer coisa é melhor do que o Esquenta, e agradece por essa qualquer coisa estar no ar)… boa sorte!