Como você pode perceber, durante esta semana, o SpinOff vai mostrar algumas listas interessantes sobre o ano de 2010 na televisão. Esta aqui mostra alguns dos momentos que marcaram o ano de 2010 na TV, nas séries e nos eventos televisivos. Eventos que mostram em imagens o que o ano de 2010 deixa para a TV. Caso você concorde ou discorde dessa lista, faça seus comentários neste post, ok?

Series Finale de Lost

Você pode até ter achado o final “uma bosta” (e esse é um termo até educado para muitos), mas não pode negar que um dos momentos mais importantes de 2010 foi o final de Lost. Muita gente (e não digo todos porque, convenhamos, 13 milhões de audiência no finale é um fiasco) parou para ver as duas horas e meia finais da história que começou como uma série de ficção científica e mistério, mas que, no final, se mostrou uma jornada espiritual. Principalmente quando Jack descobre pelo seu pai, Christian, que todos os seus companheiros de ilha estavam mortos na realidade paralela.

No fim, Jack aceita seu destino, se encontra com seus companheiros de jornada em um feliz  “momento Manoel Carlos”, e caminham em direção à luz, com Jack fechando os olhos na ilha, na companhia do cachorro Vincent, tal como tudo começou. Poesia pura, amigos!

A confusão dos programas de talk-show da NBC

A NBC conseguiu bagunçar ao máximo a sua grade de programação, que resultou na saída de Conan O’Brien do canal, e a restituição do antigo horário de Jay Leno no Tonight Show. Quem ganhou com tudo isso? David Letterman, que teve farto leque de piadas sobre a ridícula situação.

Além dele, Jimmy Kimmel também tirou a sua casquinha, e até o próprio O’Brien fez algumas piadas de si mesmo e desse cenário todo, quando pediu para seus fãs “não serem cínicos” no seu discurso de despedida da NBC. Hoje, O’Brien pode ser visto na TBS. E isso é muito bom.

O “manto de invisibilidade zumbi” de The Walking Dead

Uma das séries mais hypeadas de 2010 foi, sem dúvida, The Walking Dead, que respondeu uma pergunta muito importante para aqueles que querem enfrentar uma horda de zumbis em um futuro pós-apocalíptico. A melhor forma é você tentar passar desapercebido ao olfato deles. Como? Simples: acabe de vez com um zumbi, rasgue ele ao máximo e cubra suas roupas com seu sangue e suas vísceras. Funcionou bem para Rick Grimes e Glenn… até o ponto em que a chuva caiu. Aí… corre, galera!


24 Horas – Jack Bauer põe fim à vida de Dana Walsh (finalmente)

É sempre bom ver Jack Bauer assumir o posto que lhe é de direito: de dono do Reino da Escrotidão. Principalmente quando é para acabar com a existência de uma das mais insuportáveis personagens de todos os tempos de 24 Horas, fazendo assim a alegria dos fãs.

Jack fuzilou a agente duplo Dana Walsh, que tentou sabota a CTU a temporada inteira (sendo um dos personagens mais desprezados da série pela audiência, justamente pela falta de relevância antes de ser revelada a suas reais intensões) e quando Jack acerta a cabeça de Dana com uma série de tiros, podemos sentir que os tiros foram praticamente disparados pelos fãs da série. Agradecemos até hoje por isso.

O final da 6ª Temporada de Grey’s Anatomy

O que era pra ser apenas mais um dia de trabalho no Seattle Grace Hospital se transforma em um dos eventos mais dramáticos de toda a história da TV, além de ser o início da reinvenção da própria série. Os telespectadores ficaram durante duas horas literalmente sem ar com os acontecimentos envolvendo o vingativo e revoltado atirador, que resultou nas mortes de Reed e Percy, colocou em uma situação de vida e morte Alex e Derek, provocou o aborto de Meredith e traumatizou todos os funcionários do hospital. Um dos melhores finais de temporada de todos os tempos.

O Resgate dos Mineiros Chilenos

Não tem nada a ver com o mundo das séries, mas foi um dos eventos televisivos mais vistos do ano ao redor do mundo. Se você buscar os termos “alegria”, “esperança”, “júbilo” e “felicidade” no Google, muito provavelmente você vai encontrar a foto de um dos 33 mineiros chilenos saindo debaixo da terra, depois de 69 dias soterrados. Foram 22 horas e meia de transmissão de canais do mundo todo, no resgate mais bem sucedido (e inspirador) da história da Humanidade.


Mad Men – “The Suitcase”

Ali vs. Liston foi a referência cultural desse episódio da série da AMC, mas o foco principal deve ser de Jon Hamm e Elisabeth Moss, que detonaram nas suas performances neste episódio. Um episódio focado exclusivamente em Don e Peggy, mostrando nos mínimos detalhes uma noite de jantar, bebedeiras e brigas, que resultaram em um grau de intimidade nunca visto entre eles. Um episódio simplesmente perfeito.


O adeus de Simon Cowell de American Idol

Vários vencedores e finalistas de American Idol no palco, cantando juntos, para dizer adeus à Simon Cowell, o jurado que basicamente fez de American Idol o fenômeno televisivo da década. Depois de 9 temporadas, o normalmente ácido Cowell finalmente amoleceu ao ver seus pupilos cantando, na sua última aparição no programa. Além de contar com um bônus de ter Paula Abdul dando suas alfinetadas para homenagear o jurado. Sentiremos sua falta, Simon…


Super Bowl entre Colts e Saints é o evento mais visto da história da TV dos EUA

Mais um evento que não tem nada a ver com as séries, mas que interfere na história da TV (e das séries, por tabela). O Super Bowl XLIV (final do campeonato de futebol americano da NFL) entre Indianapolis Colts e New Orleans Saints foi histórico não apenas porque marcou a vitória de um time de uma cidade que foi destruída pelo furacão Katrina há 3 anos, mas também porque foi o evento televisivo mais visto da história da TV dos EUA, em número de telespectadores, com 106,5 milhões, batendo a series finale da série M.A.S.H., que teve 105,97.

Estima-se que mais de 153 milhões de espectadores viram alguma parte do jogo, e sua média de audiência foi de 45 pontos de média, com pico de 68 pontos. M.A.S.H. ainda detém os recordes de porcentagem de lares que viram o final da série (60%), número de lares que viram o programa (50,15 milhões de lares) e média de audiência (77%).



A abertura do Emmy Awards 2010

De Betty White ensinando a “dança da bundinha” para Jon Hamm até Jane Lynch jogando raspadinha na cara de Tina Fey, a abertura do Emmy Awards 2010 com Jimmy Fallon fazendo uma pose de Bruce Springsteen foi simplesmente fantástica. Na verdade, eles sintetizaram muito bem o que foi o ano de 2010 na TV, com alguns dos principais nomes do ano na abertura (White, Hamm, Kate Gosselin, do Dancing With The Stars, Joel McHale, de Community, Jorge Garcia, de Lost, entre outros), e um Fallon cantando Born To Run para fazer um dos mais hilários e memoráveis números de abertura da história do Emmy Awards.

Fonte