the-walking-dead-season-6

 

The Walking Dead foi renovada pelo AMC para a sua oitava temporada. E eu pergunto aos fãs: chega, né? Tá bom pra todo mundo, beleza?

Muita gente vai chiar logo no começo do post. Mas eu defendo meus argumentos. Quanto mais durar, maiores as chances de perder seu sentido ou eixo criativo.

Para o AMC, motivos para renovar não faltam.

Afinal de contas, estamos falando “apenas” da série mais vista da TV paga norte-americana da atualidade, alcançando uma média de audiência total que é mais que o dobro que a multipremiada Game of Thrones (eu sei que as duas não são exibidas na mesma época do ano, mas mesmo assim…), e em um período onde precisa enfrentar a fall season na TV aberta, e principalmente o futebol americano na NBC.

Além disso, The Walking Dead é vendida no mundo todo, entregando lucros estratosféricos para o AMC e para a Fox International Television. É um negócio da China e além.

Sem falar na grana produzida pela venda de DVDs e Blu-rays das temporadas.

Ou seja, a série é uma máquina de ganhar dinheiro.

 

 

Porém (sempre tem um porém…)

 

The Walking Dead (Season 2)

 

Por outro lado… por mais que a audiência da série ainda seja enorme… será que a história está mesmo satisfatória?

Tudo bem, chegamos em um arco importante e dinâmico para os fãs dos quadrinhos. Mas…quantas vezes reclamamos no blog que The Walking Dead é a série da “zona da pasmaceira”?

Explico: primeiro episódio de arrancar cabeças, uma primeira metade de temporada sonolenta, até o midseason finale. Volta mediano, fica na pasmaceira de novo, até um season finale destruidor.

Essa fórmula vem sendo adotada temporada após temporada, e não dá para ser muito feliz assim.

A ganância é perigosa. Pode causar dor, destruição e resultar em séries com finais abaixo do esperado. Dexter deixou essa lição ao mundo, e parece que as pessoas não aprenderam.

Certa estava Breaking Bad, que contou tudo o que tinha para contar em cinco temporadas.

Vamos lá, AMC… chegou a hora de encerrar The Walking Dead para ter um final bacana.

Vale a pena pensar nisso!