miley-cyrus-mtv-vmas

O MTV Video Music Awards 2015 prometeu muito… e cumpriu! Nem tanto pela lista de vencedores, que não apresentou grandes surpresas (ou escolhas impactantes ou relevantes, ou alguém que vai mudar o mundo da música), mas principalmente pelas diversas ‘sambadas’ ocorridas durante a premiação. Algumas produzidas pela própria MTV, e outras promovidas pelo ego das pessoas envolvidas.

Esse post faz uma revisão de tudo o que aconteceu, analisando com calma os incidentes, para que você possa ter assunto hoje com os seus amigos. Ou não, pois você pode ter simplesmente ignorado o VMA, assistindo ao segundo episódio de Fear the Walking Dead. Vai saber.

mtv-vmas-2015-nick-jonas-kelly-osbourne-dance

No pré-show já rolou coisas estranhas. A MTV mais uma vez ignorou o rock no VMA, entregando esse prêmio ‘na garagem’ do evento principal, mostrando que o gênero morreu de vez (quem mandou alguns acharem que Lorde é rock? #fail). Mas dessa vez, até o prêmio de videoclipe pop foi entregue no tapete vermelho, para que Taylor Swift participasse dele, com o seu ‘trem da alegria’ (aka elenco do videoclipe “Bad Blood”), além da estreia do seu novo videoclipe – de forma exclusiva na MTV, o que é inusitado, já que o canal deixou de ser musical há tempos.

Sem falar na ‘dança do acasalamento’ que Kelly Osbourne – que atuou como uma das apresentadoras do pré-show – fez com Nick Jonas duranta a performance musical do rapaz. Não foi sensual. Foi estranho. E nada mais.

mtv-vmas-2015-nicki-minaj-taylor-swift

E aqui temos a primeira ‘sambada’ do VMA 2015: o “tratado de paz” entre Taylor Swift e Nicki Minaj. Quem está por dentro dos paranauês sabe que as duas entraram na porrada no Twitter por causa da lista de indicações dos clipes “Bad Blood” e “Anaconda”, e o evento de ontem (30) dá a entender que as rusgas foram resolvidas… ou que ambas ganharam uma boa grana para ter essa grande ação de marketing envolvendo as redes sociais (e algumas celebridades, por tabela).

Desde então, todo mundo ficou ligado para o que veria a seguir. O VMA 2015 começou a ser visto como um grande movimento comercial, para que os envolvidos pudessem se promover e vender mais discos. Acontece que faz muito tempo que a premiação da MTV é isso: um grande espaço para artistas promoverem seus novos trabalhos. Acontece que nunca foi tão descarado como em 2015.

mtv-vmas-2015-jared-leto-the-weeknd

Jared Leto ficou um moço bem estranho depois que ganhou um Oscar. Mais ainda depois de fazer o Coringa em Esquadrão Suicida. A ponto de pedir para todo mundo tirar a roupa para receber a banda The Weeknd. Mas acredite em mim: diante do que veríamos mais adiante, isso foi até ‘algo normal’.

mtv-vmas-2015-rebel-wilson-police-stripper

Rebel Wilson… como eu gosto dessa gordinha. Mesmo em uma piada fraca como essa dos policiais strippers, ela consegue ser bem engraçada.

miley-nicki

PORRADA! PORRADA!

Aqui, temos um evento que não foi fabricado pela MTV. Bom, pelo menos fontes próximas às duas garantem isso. Mas não quer dizer que não foi oportuno para as duas, para ganharem maior visibilidade. Nicki Minaj estava p*ta da vida por conta de uma recente entrevista de Miley Cyrus, ainda por causa da polêmica das indicações de “Anaconda” (clique aqui para ler). Quando Minaj vai ao palco para receber o prêmio de melhor videoclipe de hip-hop por esse vídeo, ela aproveita o momento para ameaçar de morte cutucar Cyrus.

A MTV já sabendo disso, colocou Cyrus no palco para falar qualquer coisa (na verdade, falar sobre a votação do Artist to Watch), sabendo que teria um bate-boca à distância. E só faltou a MTV dividir a câmera em duas, no estilo do programa “Casos de Família”.

Bem sabemos o quanto Minaj é barraqueira (saudades das brigas dela com Mariah Carey na 12ª temporada de American Idol…), e como os fatos convergem para tal comportamento, entendemos que, nesse caso, a MTV não tem nada a ver com isso. Mas com a própria Cyrus disse: “nós sabemos como manipular entrevistas”. Entendam como quiser.

mtv-vmas-2015-justin-bieber-crying1

E Justin Bieber? Voltou a fazer uma performance em um VMA. É uma espécie de ‘volta’ do moço que foi execrado por (quase) todo mundo por sua conduta pseudo-rebelde (ou delinquente), em uma apresentação até bem decente. Aliás, ele não estava ali por acaso: ele é amigo pessoal de Miley Cyrus, o que tornou as coisas mais fáceis. Só não precisava dessa choradeira forçada no final da apresentação. Desnecessário.

mtv-vmas-big-sean-social-message

Big Sean ganhou o seu primeiro Astronauta de Prata, e aproveitou bem a oportunidade. Parecia o lutador Maguila e agradeceu a todo mundo. Literalmente (ou quase). Mas, de novo: o que viria depois fez esse discurso parecer BEM SIMPLES.

mtv-vmas-2015-tori-kelly

E aqui temos a grande boa notícia no aspecto musical. A até então desconhecida do grande público Tori Kelly apresentou a melhor performance da noite.

Mas nada do que foi visto até agora importa mais do que virá a seguir.

mtv-vmas-2015-taylor-swift-kanye-west

Taylor Swift, também chamada de ‘falsiane’ por muitos, estava em todas. E como boa esportista (muito bem paga), entregou o prêmio Michael Jackson Vídeo de Vanguarda para Kanye West, pelo conjunto da obra do rapaz. E fez muita questão de, no seu discurso introdutório, dar várias sambadas na cara de Kanye, incluindo o episódio do VMA de 2009, que vocês se lembram muito bem.

Armações à parte, entendo que em um mundo perfeito, era justo que ambos passassem por esse momento ontem. A carreira de Taylor mudou completamente a partir desse episódio, e Kanye West foi visto como um imbecil desde então. Mostrar ao mundo que as pessoas podem corrigir os erros do passado e seguir em frente é até algo louvável da MTV, que fala com uma geração cada vez mais individualista e egoísta.

Porém… o que veio depois disso…

kanye-west-vma-speech

Kanye West ao menos não negou que fumou ‘um’ antes do VMA, para relaxar. Mas seja lá o que foi que ele fumou, eu quero ficar bem longe disso. Em um discurso que no começo era emocional (já que falou de paternidade e arrependimento), foi tomando caminhos totalmente estranhos e imprevisíveis.

Kanye gastou quase 15 minutos do tempo da MTV – e de nossas vidas – para criticar as premiações, o aspecto de frustração que a derrota na competição causa, e finalmente justificou por que interrompeu o discurso de Taylor Swift em 2009: porque viu Justin Timberlake chorar ao perder o Grammys daquele ano!

Gente… todo mundo é adulto… tem que aprender a perder!

Depois, Kanye seguiu sua viagem alucinada, falando coisas sem sentido, como por exemplo ‘se meu avô estivesse vivo, ele jamais me deixaria sair desse palco’ (olha, sem maldades da minha parte, mas que bom que o seu avô já está em outro plano, não é, Kanye?), e sobre a necessidade de ensinar para as novas gerações que eles podem ser o que quiserem, e que artistas precisam fazer música com essa finalidade.

E encerrou esse interminável discurso com um “e é por isso que eu decidi que vou me candidatar para presidente em 2020”. E foi embora. Deixando todos sem entender nada.

elitedaily-papermag-kanye-president

Yes, we Kan! 

Depois dessa, o VMA 2015 poderia encerrar ali. Nada do que aconteceu depois foi relevante.

mtv-vmas-2015-taylor-swift-video-of-the-year

Tá, teve a Taylor Swift levando o prêmio de melhor videoclipe do ano, algo que já era bem esperado…

mtv-vmas-miley-cyrus-outfits

…Miley Cyrus, que fez um figurino especialmente pensado no VMA, depois de uma viagem de drogas pesadas (com várias tentativas de mostrar as partes íntimas no palco)…

miley-cyrus-nipple-vmas

E Miley, que tanto fez, tanto fez, que um dos seus mamilos acabou aparecendo na TV ao vivo. Ou seja, temos um novo ‘nipplegate’, meus amigos (como esquecer Janet Jackson e o show do intervalo do Superbowl de 2001), onde o delay de 5 segundos nas transmissões ao vivo não serviram para nada. Já que estamos na MTV, e não na TV aberta.

Enfim, o MTV VMA 2015 foi um festival de memes e sambadas. Acho que a MTV alcançou o seu objetivo: fazer com que sua premiação fosse o assunto de muita gente pelos próximos dias. Não que isso seja motivo de orgulho, mas no final das contas, o que vale é ficar em evidência. Para o bem ou para o mal.