Texto livre de spoilers.

Eu adoro Homeland. É uma das melhores séries da atualidade, mereceu o Emmy 2012 de melhor série dramática, está encaminhando para receber uma enxurrada de indicações, e ocupou o lugar no meu coração do vazio deixado de uma das melhores séries de todos os tempos (24 Horas). Também, pudera: a série é desenvolvida por Howard Gordon e Alex Gansa, dois dos criadores da série do Jack Bauer. Mas, como nem tudo nesse mundo é perfeito, existe um ponto da série que me incomoda muito (incomoda menos que a filha do Brody, que é insuportável)…

Carrie Mathison.

Não me entendam mal. Claire Danes está, mais uma vez, se indicando ao Emmy 2013, com uma atuação impressionante, com momentos excelentes da série. O problema é o rumo que os roteiristas dão para o seu personagem, ou melhor, para o comportamento que essa personagem tem diante dos acontecimentos. Sério, as decisões de Carrie, por mais acertadas que pareçam ser (e são, pois ajudam no desenvolvimento da solução dos problemas onde todos estão envolvidos), são decisões que nenhuma agente, em sã consciência e racionalidade, tomariam.

E o pior de tudo: mesmo quando a ordem dos seus superiores é “corra sem olhar para trás, e salve sua vida!”, ela faz EXATAMENTE O CONTRÁRIO!

Sabe, Carrie Mathison pode até parecer o Jack Bauer, mas ela não é Jack Bauer. Na verdade, a TV não precisa de outro Jack Bauer. Primeiro, pelo simples fato de Jack Bauer ser um personagem único na história da TV. Segundo, porque Carrie é muito mais fragilizada que Jack, e isso torna a personagem de Danes interessante, verossímil, ou ao menos mais próxima de um ser humano normal.

Tudo bem, nós bem sabemos que Carrie está apaixonada por Brody, e que por causa do amor, as pessoas fazem qualquer coisa. Mas vale a pena lembrar que estamos falando de uma ameaça real à soberania dos Estados Unidos. Ok, tem gente na CIA que está trabalhando contra, e quer ver o circo pegar fogo. OK. Mas… não temer mais pela própria vida? Será que Carrie entrou mesmo em um processo de autodestruição e eu não percebi?

Mas… logo agora que ela está perto de saber o que REALMENTE está acontecendo nas entranhas do poder? Perto de descobrir que há um traidor/supervisor/sei-lá-o-que trabalhando por trás da CIA? Sei lá… achei o último episódio de Homeland muito bom, mas ver a Carrie de novo não obedecendo ordens CLARAS beira o absurdo.

Mas, enfim… precisa ter história para mais dois episódios. O pior é que eu fico reclamando, e depois que acabar, eu vou achar tudo lindo e maravilhoso.

Sim, amigos… o estranho sou eu. Mas ao menos eu não estou em uma série de TV. De qualquer forma, vou continuar a assistir, pois quero ver onde isso vai dar. Mesmo que eu fique sempre me questionando: “a Carrie vai terminar mais uma temporada assim… estranha?”