hannibal-axn-01

Hoje eu faço questão de jantar um belo bife de fígado acebolado (se você nunca comeu, não faça essa cara de nojinho: é uma delícia), apenas para comemorar a sábia decisão da NBC em renovar Hannibal para uma segunda temporada. Eu preciso mesmo comemorar o simples fato de constatar que AINDA existe vida inteligente no canal do pavão, que influenciou de forma positiva Bob Greenblatt.

Afinal de contas, todo mundo viu como a NBC cancelou tudo nessa temporada (até mesmo a própria NBC). Foram 13 séries canceladas de uma única vez, incluindo algumas injustiças (na minha opinião), como The New Normal e Go On. E o motivo dessas duas séries simplesmente serem exterminadas da grade, mesmo sendo melhores do que outras séries que perduraram na temporada, foi o mesmo: baixa audiência.

Todo mundo sabe que a NBC está desesperada por audiência. Já disse isso antes, e vou repetir: se pudesse, a NBC fazia o reboot de Friends, ou reprisava a série em horário nobre, só para atrair os fãs saudosistas da comédia. Aliás, a NBC está tão desesperada por audiência, que vai colocar no ar durante a summer season um reality show que vai durar 12 dias, 24 horas por dia, só com trivias e desafios eliminatórios (clique aqui para ler).

E com a chegada dos upfronts, o temor pelo cancelamento de Hannibal aumentou, uma vez que várias séries do canal eram canceladas ou renovadas. Menos a produção do nosso canibal preferido. Mas felizmente, a espera chegou ao fim, e a série terá uma segunda temporada. E com justiça.

Hannibal é uma série tão bem feita, que mal dá para acreditar que está na TV aberta. Mais: mal dá para acreditar que está na NBC! Roteiro muito bem escrito, uma trama pesada, envolvente, com cenas que abusam da violência e agressividade visual (não que isso tenha que ser um pré-requisito para fazer sucesso, mas se estamos falando de um serial killer canibal, não podemos pegar leve), uma ambientação impecável, e atuações muito boas. Ou seja, por que não manter essa série no ar?

O grande trunfo de Hannibal foi, por incrível que pareça, manter toda essa qualidade e sustentar a sua baixa média de audiência de 3.2 milhões de espectadores por episódio. É pouco? Sim, é pouco. Mas foi uma audiência constante. Além disso, nem tudo na TV pode se medir pelos números. Algumas pessoas ontem (30) me perguntaram: “mas Hannibal é tão boa assim?”. A resposta que eu dava era: É FODA!

Outra decisão acertada da NBC foi renovar para uma temporada curta, de 13 episódios. Essa vem sendo uma tendência nova dos canais abertos norte-americanos, que seguem a estratégia dos canais pagos (HBO, AMC, Starz, Showtime, etc), que optam por temporadas mais curtas, para gastar menos dinheiro e aumentar as chances de uma história mais coesa e bem escrita. Até porque não sobram muitos episódios para que a série conte com as já famosas “barrigas” de roteiro.

E no caso de Hannibal em particular, isso é excelente. As chances da segunda temporada ser tão boa quanto a primeira são grandes, e finalmente (talvez) a NBC pode ter encontrado a sua série que ela terá orgulho de chamar de “sua”.

Muito bem, Bob Greenblatt. Finalmente o senhor deu uma dentro. A comunidade agradece!