cristela-02

Para terminar o ano ‘bem’ (ou com aquele gosto de sangue por detestar as escolhas), eu fecho a conta de 2014 com a já tradicional lista de piores séries do ano, na minha opinião (que vale mais do que dinheiro).

Em um ano onde não posso falar de The Neighbors nem de We Are Men, até que algumas produções chegaram a ameaçar o potenciômetro da minha raiva por conta da ruindade. Talvez nenhuma das séries de 2014 me fizeram ter vontade de espancar os executivos dos canais por aprovarem coisas tão dantescas. Mesmo assim, como o sentimento de ódio ‘é algo bonito de ser cultivado’, vou fazer a minha parte e apresentar minhas escolhas de produções que devem passar bem longe da sua TV.

Sem medo de ser feliz. Ou de ler as chatice dos comentários mimizentos de moleques birrentos que gostam de séries de b*sta.

 

10. The Affair

É seu direito dizer que The Affair é uma boa série. É meu direito discordar de você, e dar argumentos sobre por que eu estou certo, e você (para variar), errado. Um piloto insuportável, com uma história que não tinha apelo nenhum, que não tinha perspectiva de ir para frente, e personagens pouco carismáticos. Tudo isso se confirma – e piora – quando fico sabendo que o grande crime da temporada envolve um avulso que ninguém se importa. Olha, boa sorte para quem vai continuar na segunda temporada. Na verdade, não: tomara que seja cancelada logo.

 

9. The Voice Brasil

Quando você assiste The Voice UK, você tem vontade de se esconder de vergonha pelo fato de The Voice Brasil ser tão ruim. Nem falo dos treinadores (alguém aí suporta o Carlinhos Brown, o Lulu Santos, o Daniel? Não pergunto mais da Claudia ‘Milk’ Leitte, pois já sei a resposta…). A produção é ruim, os finalistas deixam a desejar, e o público escolhe como vencedores uma dupla sertaneja que desafina absurdamente na final do programa. Não é de se estranhar se eles não fizerem sucesso. Não merecem.

 

8. Forever

Essa foi outra série que entrou na minha categoria ‘eu não me importo nenhum pouco’. Uma série sobre um cara, que durante séculos fica brincando de ‘Feitiço do Tempo’, onde ele morre… e ressuscita em um lago. Pelado, é claro. Aliás, morre e ressuscita várias vezes para solucionar crimes. Sério, por que é que eu vou me importar com isso? Ok, a ABC deu sobrevida para esse lixo, mas não vou ficar surpreso se eu ver essa b*sta na lista de canceladas em maio de 2015.

 

7. Mulaney

Quem se importa com John Mulaney? Ninguém conhecia direito esse cara quando a sua série estreou na Fox. E acho que tem muita gente que não faz ideia de quem ele é até agora. Mas como o que importa é falar mal de sua série… ok, a série é terrível. Você não ri de nada. Pelo contrário: tem vontade de morrer no lugar de ver um novo episódio de 20 minutos. Eu estou surpreso em como até o momento em que escrevo esse post essa série AINDA NÃO FOI CANCELADA pela Fox. Sim, pois passando nos domingos e com demo de 1.2 ou 1.0, ela grita pelo cancelamento.

 

6. The McCarthys

Não é uma das piores, mas entra na lista porque tem tudo para conseguir a ‘façanha’ de ser cancelada… na CBS. Sim, pois para uma série ser cancelada no canal #1 dos Estados Unidos é algo para poucos. Você precisa estar no nível ‘We Are Men’ para conseguir essa missão. E mesmo sendo bem intencionada, é mais uma que não faz rir. Por enquanto, sobrevive. E mesmo que consiga a renovação, não muda a minha opinião que deixa muito a desejar.

 

5. Bad Judge

Kate Walsh no papel de sua vida. Ou seja, uma mulher de meia idade bagaceira. Ela bem que tentou fazer dar certo, mas convenhamos: uma comédia de baixo calão, de péssimo gosto, que jamais vingaria, mesmo que passasse na CBS. Não dá nem para culpar a NBC por esse lixo ter afundado rapidamente. Kate Walsh dando para meio mundo e bebendo todas – e ainda assim ser uma juíza – foram motivos mais que suficientes para que esse câncer fosse eliminado da televisão.

 

4. Extant

Vocês podem gostar e defender a moça Halle Berry à vontade. Eu também gosto um pouco dela. O que não me impede em nada em criticar com toda a violência a porcaria que foi a sua série de summer season na CBS. Aliás, mais uma vez vemos Steven Spielberg pegando o dinheiro de produção para construir mais uma casa em Malibu. Ok, nem tanto. Mas desisti da série quando me dei conta que ela engravidou de um ET fantasma no espaço. Na boa, é muito pra minha cabeça.

 

3. Cristela

A série que é a prova cabal que o preconceito do norte-americano médio em relação ao povo latino está mais latente do que nunca. O pior é ver coleguinhas de podcast aplaudindo o piloto desse lixo, utilizando a regra do ‘de cada cinco piadas que eles contaram, eu ri em uma’. Detalhe: piadas do nível ‘Ah, você não sabe nadar? Então… como chegou ao Texas’ (para uma latina que procura um emprego em um escritório de advocacia). Cristela é um lixo. E nem me chame de politicamente correto: até o SpinOff faz piadas mais decentes que essa b*sta de série.

 

2. Utopia

Muito provavelmente vocês nunca ouviram falar disso, mas esse reality ‘espetacular’ foi uma das ‘heranças malditas’ deixadas por Kevin Reilly antes de sair da presidência da Fox. Temos aqui ‘o maior experimento social da história da TV’ #SóQueNão, onde desconhecidos vivem em uma fazenda, sem muitos recursos, e com o objetivo de construir a ‘sociedade perfeita’. DO ZERO. É claro que não deu certo, e a Fox ficou com um prejuízo absurdo no bolso. E sim, amigos… eu vi. E foi um lixo sem precedentes. Lixo que chega a feder, sabe?

 

1. Hieroglyph (que sequer estreou)

Quando uma série é aprovada por um executivo, e depois de alguns meses – quando uma dupla de novos executivos assumem o posto, com a missão de limpar a casa -, a mesma série é cancelada sem sequer estrear, temos aqui uma clara evidência do quão ruim poderia ser essa série. Nesse caso em particular, o mesmo Kevin Reilly, que aprovou a patética Utopia, deixou como outra ‘herança maldita’ para a Fox a ‘maravilhosa’ Hieroglyph, que mostraria o sexo, as intrigas políticas e os dramas do Antigo Egito. Lamento por vocês, que não vão poder apreciar essa maravilha, mas acho que todos foram poupados de ter mais um balde de m*rda jogado na nossa cara, pela TV.

E sobre essa última escolha, tudo o que eu tenho a dizer é: ‘meu blog, minha lista, minhas regras…’.

FELIZ 2015, CRIANÇAS!