Big c

Enfim, o fim de ano chegou e junto com ele a hora de fazer um balanço de como foi esse ano! Então nós da Equipe Spinoff resolvemos fazer a nossa lista de Melhores e Piores de 2013! Abaixo você confere as minhas escolhas para as que se salvaram nesse ano em que tanta naba chegou até nós de forma tão vil e agressiva!

PS: E antes que comecem os mimimis eternos, essas são as dez melhores séries do ano NA MINHA OPINIÃO!!!

10. The Fosters

Quem diria que logo a ABC Family, conhecida por suas produções de gosto duvidoso, vide PLL e Twisted, iria nos brindar com algo tão bacana e tocante como The Fosters. A série quase não viu a luz do dia, devido a temática onde um casal homossexual comanda uma família com 5 filhos (naturais e adotivos), mas com a influência e produção de Jennifer Lopez, fomos brindados com essa série que de forma tão bonita e respeitosa toca em diversos temas como: adoção, homossexualidade, alcoolismo e violência doméstica, entre outros.

9. Devious Maids

O momento em que Desperate Housewives encontra Cheias de Charme! Quando o projeto capitaneado por Marc Cherry e Eva Longoria foi descartado pela ABC, confesso que uma tristeza tomou conta de mim, afinal seria a chance de ter o humor negro de Cherry de volta a TV, então foi aí que o Lifetime entrou na jogada e nos brindou com uma das melhores estreias da temporada! Com um roteiro absurdo, atuações afetadíssimas e trilha sonora cafona ao extremo, Devious Maids merece ser conferida e foi sem dúvidas uma das melhores coisas desse ano.

8. Hannibal

A série da NBC, produzida por Bryan Fuller (Pushing Daises) e estrelada por Hugh Dancy (atormentado no ponto com seu Will Graham) e Mads Mikkelsen (soberbo como o personagem título), foi uma grata surpresa nesse ano. Com uma grande estética, atuações acima da média e violência crua poderia estar tranquilamente num canal a cabo e tem que ser vista e aproveitada enquanto está no ar!

7. Nashville

O drama da ABC terminou e retornou como um dos mais promissores do ano. Após o tenso season finale, conseguiu expandir as suas tramas, dando mais espaço aos demais coadjuvantes do elenco, sem deixar de focar nas suas protagonistas, a qual vale destacar a Juliette Barnes de Hayden Panettiere (sim, @oEduardoMoreira, ela mesma!) que vem ofuscando a amada Connie Britton, até por ter um plot mais interessante e toda uma gama maior de histórias que giram ao seu redor.

6. Orphan Black

A surpresa do ano! Confesso que a primeira vista não me importei com essa série, afinal é uma produção da BBC América e ainda não tinha nenhum ator/atriz conhecido. Mas depois de ouvir todo o burburinho sobre ela, resolvi dar uma chance e BUM!!! Foi muito melhor que eu esperava, Tatiana Maslany interpreta com excelência diversas personagens com personalidades variadas e em nenhum momento deixa a peteca cair. Um ritimo intenso e boas cenas de ação, Orphan Black é o destaque entre as séries desse ano.

5. Game of Thrones

Uma das minhas maratonas feitas esse ano (a outra foi Grey’s Anatomy, que ficou longe de ser uma das melhores desse ano), e que valeu cada minuto investido! Claro que o 9º episódio foi o ápice da boa terceira temporada, onde Jamie Lannister, Olenna  Tyrell e Tywin Lannister roubaram a cena e abriram caminho pra sua quarta temporada que realmente promete.

4. Modern Family

É claro que a melhor e mais amada comédia da atualidade estaria na lista da melhores do ano. Com sua melhor temporada desde a primeira, Modern Family vem nos brindando com um texto ágil e inteligente, com destaque para Lily, que mesmo com pouco tempo em cena faz miséria em cena e me mata de rir em cada episódio. Se você ainda procura por uma comédia, aproveite a pausa de fim de ano e comece a acompanhar já!

3. The Blacklist

The Blacklist é uma série que em condições normais de temperatura e pressão não estaria na minha lista, tendo em vista que não curto muito este de tipo de atração com temática procedural. Mas fui assistir o piloto pelo Projeto Fall Season e também por gostar muito do James Spader.

E a série foi, de fato, uma grata surpresa! Spader roubou a cena com seu Raymond “Ray” Reddington e a química com Megan Boone e sua Elizabeth “Liz” Keen existe e é palpável, além de ser muito agradável ver os dois em cena. Os casos da semana também não deixam de ser interessantes, e vão ocorrendo junto com a trama central, afinal, o porquê Red se entregou e porque essa obsessão em trabalhar apenas com Liz nos faz ficar grudados na trama, semana após semana

É claro que como toda série, tem seus furos e conveniências de roteiro, o que não diminui o fato de ser uma das melhores estreias da temporada, e em minha opinião a melhor estreia da TV aberta nesta temporada.

2. The Big C

E Cathy enfim concluiu sua jornada na TV! Depois de três temporadas apaixonantes,o Showtime deu quatro episódio finais para The Big C e que episódios! Acompanhar o final da jornada de Cathy contra o tal “Cezão” foi de partir o coração. Foi de partir o coração ver toda a força com que Laura Linney e todo o elenco levaram cada minuto dessa trama. O fato é que The Big C estará pra sempre no meu coração e que com certeza me fez pensar e refletir o quanto não devemos pra amanhã o que podemos fazer hoje, já que a vida é tão efêmera e deve ser vivida intensamente.

1. Breaking Bad

É claro que uma das melhores séries da história chegou ao seu final e não podia ficar em nenhum lugar nessa lista que não seja o topo! Acompanhar os episódios finais da jornada de Walter White foi uma experiência tão devastadora e incrível que é até difícil de descrever, então deixo meu orgulho eterno de ter podido acompanhar essa experiência! Obrigado Vince Gillian e Bryan Cranston!