na-bolha-topo

Para quem não está familiarizado com o termo, quando dizemos que a série está “na bolha”, queremos dizer que ela corre risco de cancelamento. E quando uma bolha estoura, vocês bem sabem o que acontece, não é mesmo? Logo, o TV Guide fez uma lista de 25 séries que correm algum risco de cancelamento. Algumas estão mais para a especulação de serem canceladas. Outras, já com riscos reais. Algumas, na minha opinião, já estão condenadas ao fim. Vamos à lista:

Beauty and the Beast (CW)

A boa notícia: a serie tem um pequeno, mas devotado grupo de fãs, e se a CW entender que esse grupo é o suficiente, pode manter a série no ar.

A má notícia: a série não tem nem metade da audiência de The Vampire Diaries (que faz lead-in no seu dia de exibição), e com o spinoff de TVD em produção, os incentivos para o cancelamento da série são muitos.

Body of Proof (ABC)

A boa notícia: desde a volta de Dancing with the Stars, a série está vencendo em seu horário, tanto na audiência geral quanto na demo 18-49 anos. E já escapou do cancelamento antes. Então, por que não escapar de novo?

A má notícia: Dana Delany e sua turma perdeu quase todo o seu elenco, em uma espécie de reboot para a terceira temporada. O retorno da série em fevereiro registrou a audiência mais baixa de toda a série, quando voltou no lugar da encerrada Private Practice. E tudo indica que a ABC quer colocar uma nova série para ser exibida depois de Dancing with the Stars.

The Carrie Diaries (CW)

A boa notícia: o drama estabilizou em uma pequena, mas consistente audiência. A sua audiência é pequena na TV, mas nos números de downloads online e DVRs, é considerável. Isso pode estimular a renovação.

A má notícia: a CW certamente esperava mais do hype da nostalgia, que não contagiou a audiência do canal. As renovações de Nikita e Beauty and the Beast (que contam com perspectivas melhores de ganhar audiência) são mais prováveis do que a da série que conta a juventude de Carrie Bradshaw na década de 1980.

Community (NBC)

A boa notícia: depois de grandes mudanças, a série teve uma grande audiência na estreia dessa atual temporada. Além disso, deu para outras séries novas do canal, como 1600 Penn e Guys With Kids alguma perspectiva indireta de audiência. A proximidade da marca de 100 episódios (ou o Syndication) pode ser um estímulo para a renovação.

A má notícia: a audiência, que já era pequena, ficou menor depois da estreia da temporada. A temporada tem uma média inferior a 3 milhões de espectadores (só para comparar: Whitney, que nem é tão vista assim, tem 3.7 milhões de média na segunda temporada). O último episódio inédito de Community teve a pior audiência de toda a série (2.4 milhões de audiência, e demo 18-49 de 1.0). Convenhamos: já está morta. O cancelamento é uma questão de tempo.

CSI: NY (CBS)

A boa notícia: a série, que está na nona temporada, tem uma sólida média de 9.7 milhões de audiência, e 1.4 na demo 18-49 anos. E isso, em uma sexta-feira. Outros canais matariam para ter essa audiência.

A má notícia: a série já é de Syndication, mas não caiu no gosto de outros canais. Já foi ameaçada de ser cancelada duas vezes, e a CBS quer limpar espaço para novas e mais baratas produções. Pode ser que dessa vez o fim seja definitivo.

Go On (NBC)

A boa notícia: a comédia estrelada por Matthew Perry continua sendo uma das apostas da NBC na temporada. Foi amplamente promovida no programa de upfront exibido durante os Jogos Olímpicos de Londres no ano passado, e aproveita parte da audiência de The Voice nas terças-feiras. No primeiro trimestre de 2013, chegou a vencer New Girl (Fox) em algumas semanas. Ou seja, boa vontade da NBC em manter a série no ar não falta.

A má notícia: Go On fracassou na audiência enquanto The Voice estava em pausa, e isso se reflete na audiência atual da série. No último episódio exibido, a produção registrou apenas 1.1 na demo e 2.4 milhões na audiência geral. E se Community será cancelada com números semelhantes, logo…

Golden Boy (CBS)

A boa notícia: depois de duas semanas, a CBS decidiu manter a série no timeslot das terças-feiras, o que é sempre um bom sinal para uma série novata.

A má notícia: a série não engrenou o esperado para o dia da semana onde está posicionada. Está com uma demo de 1.4, que é pior do que aquela que Vegas dava no mesmo dia da semana e horário (1.7). E como Vegas está bem próxima de ser cancelada…

Happy Endings (ABC)

A boa notícia: a ABC bem que está tentando: está buscando o melhor dia da semana para a série, criou a campanha “Save Happy Endings” para uma série que é agora exibida nas sextas-feiras… e, mesmo assim, se tudo isso não for suficiente para salvar a série na ABC, o USA já anunciou que quer salvar a série.

A má notícia: se o USA der para trás, não há salvação para a série. Os episódios exibidos na sextas registraram fraca audiência, com uma demo de 1.0.

Hart of Dixie (CW)

A boa notícia: mesmo sem receber uma renovação antecipada, essa é uma das séries que entregam uma das maiores audiências para a CW, sendo consistente nos números a cada semana. Além disso, a audiência do canal adora a Rachel Bilson, o que deve ajudar na renovação.

A má notícia: com algumas séries veteranas da CW  já renovadas, Hart of Dixie acaba sendo obrigada a disputar sua renovação com as séries novatas que já estão no ar, e com os novos pilotos em desenvolvimento. Como novas séries precisam estrear, ela pode dançar apenas pelo fato de “temos que abrir espaço”.

Last Man Standing (ABC)

A boa notícia: a série não tem grandes índices de audiência, mas tem uma sólida audiência, que registrou um aumento no final da segunda temporada. Tudo isso, graças à Tim Allen. A média da audiência da série na temporada foi um pouco abaixo dos 7 milhões de espectadores, com uma demo de 1.5. Nada mal para uma sexta-feira.

A má notícia: a ABC tem muitos pilotos de novas comédias em desenvolvimento, e pode ter que abrir espaço para as novidades com nomes badalados, como Rebel Wilson e Malin Akerman.

Law & Order: SVU (NBC)

A boa notícia: apesar de sua longa duração, é uma série ainda muito prestigiada pelo público. Recebeu um episódio adicional nessa temporada, e está estável na sua audiência. O que na NBC é praticamente um milagre.

A má notícia: Chicago Fire hoje dá mais audiência do que SVU, mesmo sendo uma série que é exibida depois de SVU. Além disso, o spinoff da série dos bombeiros está em desenvolvimento.

Malibu Country (ABC)

A boa notícia: a série que trouxe Reba McEntire de volta para a TV fez naturalmente um par com Last Man Standing nas noites de sextas da ABC, rendendo uma boa audiência total (6.4 milhões) e uma boa demo (1.4) para o horário. Pode ser renovada para solidificar a tendência de séries familiares das noites de sextas do canal.

A má notícia: a série ficou fora do ar durante todo o mês de março. Será que sua volta vai atrair o interesse do telespectador?

Nashville (ABC)

A boa notícia: a série é uma das mais elogiadas novatas da temporada, e é o único drama novo da temporada na ABC que permaneceu no ar. Com uma trilha sonora de sucesso, o potencial da série em lucrar em múltiplas plataformas é grande, e sua audiência é razoável na TV (6 milhões de audiência, 1.9 na demo), mas enorme nos DVRs.

A má notícia: a ABC não está convencida ainda que a série pode atrair mais audiência na TV, principalmente se utilizar a série como aquela que vai puxar a audiência das demais na próxima temporada.

The Neighbors (ABC)

A boa notícia: o presidente da ABC Entertainment, Paul Lee, deu a última risada (ou melhor, a última palavra): The Neighbors não é tão ruim quanto a maioria disse. Conseguiu chegar ao seu final de temporada com uma estável audiência de 6.2 milhões de espectadores e 1.9 na demo. Algo que todas as séries da ABC que passam nas quartas (e que não se chamam Modern Family) conseguem.

A má notícia: How to Live With Your Parents estreou com uma audiência muito maior que The Neighbors no seu horário, apresentando uma maior retenção de audiência em relação à Modern Family. A maior em dois anos no horário. Se a nova série de Sarah Chalke manter esse mesmo desempenho, é o fim da linha para a série dos alienígenas (que, na minha opinião, não deveria nem ter o seu piloto aprovado).

The New Normal (NBC)

A boa notícia: The New Normal ainda consegue ter visibilidade, principalmente da crítica especializada, mesmo sem ter a “ajuda” de The Voice.

A má notícia: levando em conta apenas a audiência como critério, é a comédia da NBC que menos dá audiência, ficando atrás de todas as outras.

Nikita (CW)

A boa notícia: com Supernatural sendo exibida nas quintas-feiras, a audiência de Nikita não variou muito.

A má notícia: a série perdeu 50% de sua audiência de uma temporada para outra (média de 1.7 milhões, com demo de 0.3). Além disso, a série é mais onerosa para a CW produzir, o que pode determinar o seu cancelamento.

Parenthood (NBC)

A boa notícias: amada pela crítica e pelo público, o drama teve um leve aumento de audiência no final da temporada atual. E com a queda livre de Smash, as chances da renovação da série aumentam.

A má notícia: contando hoje com o maior elenco das séries de TV, Parenthood é uma série que custa caro para a NBC produzir. Se for renovada, não deve receber uma encomenda de temporada completa.

Parks and Recreation (NBC)

A boa notícia: com 30 Rock e The Office chegando ao fim, Parks and Rec é a única série “feita para os críticos” que restou na NBC. E acredito que Bob Greenblatt não é burro o bastante para cancelar a série nesse momento.

A má notícia: a audiência da série caiu em 20% nessa temporada, mas muito por culpa da própria NBC, que nessa temporada jamais exibiu episódios inéditos da série por mais de três semanas consecutivas.

Rules of Engagement (CBS)

A boa notícia: a comédia ainda dá uma audiência consistente para a CBS, independente de quando ela é colocada na grade do canal.

A má notícia: o final dessa temporada vai acontecer no episódio 100, tornando a produção uma série de Syndication, o que pode indicar o fim do investimento por parte da CBS. Além disso, os contratos de produtores e elenco estão chegando ao fim, e Patrick Warburton – que já se manifestou frustrado com as decisões da CBS em relação à série – e David Spade já estão envolvidos em novos projetos.

Smash (NBC)

A boa notícia: (se é que existe boas notícias nesse caso) é… bom… a série AINDA está no ar.

A má notícia: todo o resto. A segunda temporada foi um desastre, perdendo 71% de sua audiência na estreia da nova temporada (4.5 milhões, demo de 1.2). Desde então, a audiência só caiu, ficando com uma demo média de 1.0. Foi deslocada para os sábados, e ficou com uma audiência de 2.7 milhões e demo de 0.9. Debra Messing e Katharine McPhee já estão envolvidas em novos projetos. Ou seja, mais morta, impossível.

Suburgatory (ABC)

A boa notícia: a segunda temporada da série consegue aproveitar de algum modo a boa audiência de Modern Family, e a ABC ainda aposta na série, que cria um simpático bloco de comédia nas noites de quarta-feira.

A má notícia: mesmo com uma audiência sólida (6.1 milhões de média, e demo de 2.2), é apenas a metade da média de Modern Family (11.4 milhões, demo de 4.4). E pode ser cancelada por isso.

Touch (Fox)

A boa notícia: bom, se você vê a série com os olhos fechados (tá, eu sei que é uma contradição o que eu acabei de escrever…), você ainda pode ouvir Jack Bauer em suas missões. Ou algo parecido. Mas não igual, é óbvio.

A má notícia: a estreia da segunda temporada foi adiada duas vezes, e sendo exibida nas sextas-feiras, não é surpresa para ninguém que a audiência esteja tão baixa (2.8 milhões na média, 0.7 na demo). E, nesse caso, nem as sextas-feiras servem como desculpa, pois a única série da Fox que deu uma média de audiência mais baixa que essa na temporada foi The Mob Doctor. E todo mundo já sabe o que aconteceu com ela.

Up All Night (NBC)

A boa notícia: a quem eu quero enganar? Não existe boas notícias sobre essa série. A boa notícia é que ela não está no ar.

A má notícia: todo o resto. A ideia ridícula de fazer um reboot na série, transformando a mesma de mockumentary para sitcom, algo que falhou espetacularmente. Aliás, a mudança só fez com que Christina Applegate deixasse a série. Os planos para o tal episódio sitcom foram cancelados, e Will Arnett já está envolvido em outro piloto (fora o filme das Tartarugas Ninja). Por fim, Maya Rudolph está grávida do quarto filho. E com tudo isso, a NBC se recusa a desligar os aparelhos da série. Essa aqui está mais cancelada que Community.

Vegas (CBS)

A boa notícia: o drama conta com um grande elenco (Dennis Quaid, Michael Chiklis, Carrie Ann-Moss… não, me recuso a colocar “grande elenco” na mesma sentença do nome Jason O’Mara), e obteve uma boa média de 11 milhões de audiência enquanto estava nas noites de terça-feira.

A má notícia: a série foi transferida para as falidas noites de sextas, e sua audiência caiu para 7.6 milhões em média, com uma demo fraquíssima de 0.9 (só tem uma demo melhor que Touch). Com atores caros, a série não consegue devolver o investimento feito pela CBS.

Whitney (NBC)

A boa notícia: Whitney Cummings tem hoje a comédia mais vista da NBC, com uma média de audiência de 3.6 milhões de espectadores. Não é a audiência dos sonhos de Bob Greenblatt, mas é o que as pessoas mais assistem.

A má notícia: diferente das comédias das noites de quintas-feiras da NBC, Whitney não gera buzz nas redes sociais, e não é tão bem vista pela crítica. A estreia da segunda temporada registrou uma audiência menor que a primeira, e essa tendência de queda se seguiu ao longo da temporada.

Via TV Guide