greys-anatomy-season-10

Só nessa foto tem dois mortos. Dois!

Tá, a gente tem que colocar essa foto acima para não tentar estragar a ‘brincadeira’ de quem não viu (ainda) o último episódio de Grey’s Anatomy (ABC). Fato é que Shondão matou mais um, e desde a última quinta-feira (23), tem muita gente revoltada com essa morte. E alguns dos revoltados decidiram fazer o óbvio: criar um abaixo assinado para ‘ressuscitar’ quem morreu.

A petição pede o impossível: fazer com que Shonda Rhimes mude de ideia. Sob o argumento de ‘investir’ seu tempo e dinheiro (???) em Grey’s Anatomy por uma década, eles não se conformam que o fim do personagem Derek Shepherd (Patrick Dempsey) seja aquele apresentado em tela. O texto dá a entender que a audiência foi esmagada junto com o carro do neurocirurgião.

Alguns fãs entendem que não merecem isso depois de anos de devoção, e recorreram ao site Change.org para criar uma petição online, exigindo que Shondão e a ABC tragam Derek Shepherd de volta ao mundo dos vivos ‘imediatamente’. Mais: os autores do abaixo assinado, muito preocupados com o que acontece no universo da série, se perguntam como Zola e Bailey (filhos de Derek com Meredith Grey) vão crescer sem a presença paterna.

A petição também destaca a forma cretina que Derek morreu, incluindo o negligente atendimento do hospital onde ele foi socorrido. Sabe, na verdade eles querem que tudo volte a ser como antes, sob o argumento de que o mundo era perfeito do jeito que era (apesar do Derek já não ser tão importante na série).

Na nossa opinião, estão pedindo o impossível. É mais fácil a CW ganhar o Emmy Awards 2015 com Jane the Virgin do que Shonda Rhimes ressuscitar Derek. Sem falar que as coisas na TV vão muito além de ‘mata, ressuscita e pronto’. Vai muito além daquilo que os fãs desejam. Até porque nem a vida real é do jeito que a gente quer, não é mesmo?

Agora que aconteceu, as pessoas precisam entender que ‘já foi’. Não tem mais volta. É vida que segue. Menos para o Derek. Coitado…

Enfim, se você quer ver o texto da petição na íntegra, ou até apoiar a causa, clique aqui.