How-I-Met-Your-Mother-season-8

Texto sem spoilers.

Quando você assiste uma série por muito tempo, você não pensa em desistir dela, por vários motivos. Porque você pensa “eu já cheguei até aqui, agora vou até o fim…”. Por você já ter criado afinidades com aquela produção. Por já ter perdido tempo demais com a série para abandoná-la. Ou porque você ama essa série que, mesmo achando que a história virou um “correndo atrás do próprio rabo”, ou um “Barney e seus amigos”, ou seja lá o que for que eu tenha dito nos últimos anos aqui no SpinOff… enfim, por amor, a pena continuar.

Quem ama, simplesmente não desiste. E estou feliz porque não desisti de How I Met Your Mother.

A comédia da CBS que durou quase uma década contou uma grande história de amor. Cheia de clichês, encontros e desencontros, reviravoltas, surpresas… na verdade, não mostrou apenas uma história de amor. Mostrou várias, dentro de outra grande relação de amor: a amizade daqueles cinco protagonistas, diferentes nas suas personalidades, mas em sintonia no desejo da busca pela felicidade. Amigos que viveram juntos os melhores anos de suas vidas, compartilhando com a audiência os acontecimentos que determinaram os seus futuros.

Para uma história que começou a ser contada em 2005, e só foi concluída em 2030, vimos tudo o que determinou o futuro de cada um deles. Para aqueles que acompanharam essa trajetória em todos os episódios, a sensação que fica é que “tudo se encaixa”. Pois o fim consegue se alinhar perfeitamente não apenas com a grande história de amor que a série se propôs a contar. Mas principalmente, com o que faz as histórias de vida fazerem sentido. Que é…

A vida é feita de ciclos. E, se tudo der certo, esse ciclo se fecha do jeito que você sempre quis.

Acho que a grande alegria que uma pessoa pode ter é chegar ao ponto final de uma jornada, e ver que tudo aquilo que passamos foi fundamental e substancial para aquele momento que você sempre esperou. E a vida TEM que ser assim: feita de ciclos. As pessoas entram e saem de nossas vidas, amigos vem e vão, mas naquilo que temos de mais importante do nosso pequeno universo, onde tudo tem – e deve – dar certo, no ponto final, você vai ver aquele ponto de conexão com tudo o que aconteceu antes. E assim, inciar um novo ciclo.

Você pode achar que aquele pedaço malfadado de sua vida nunca vai terminar. Termina sim. E pode vir outros pelo caminho. O importante é que você esteja pronto para enfrentar o que vier, e comemorar as vitórias em um pub com seus amigos. Ou no seu apartamento, em uma maratona de Star Wars. Você escolhe.

Além disso, a vida – e o final de How I Met Your Mother – mostra que tudo nessa vida tem o seu tempo para acontecer. Se você realmente quer o que deseja – ou ama intensamente aquele alguém -, o tempo vai mostrar se esse amor é realmente genuíno e único. O tempo é o senhor da razão. Sempre. E, se ainda não aconteceu, é porque não é a hora. Ou porque você ainda precisa aprender mais um pouco, ou valorizar ainda mais esse sonho para que ele se torne realidade.

Por fim, a vida – e How I Met Your Mother – mostra que valorizar nossas experiências é algo fundamental. Ter um passado. Uma história para contar. Usar de argumentos consistentes para justificar suas atitudes no futuro. Basicamente foi isso o que Ted fez por nove longas temporadas (mesmo me irritando um pouco, confesso). Mas tinha um motivo. Tinha uma razão. Algo muito forte, especial, único. E devo admitir que valeu a pena ouvir essa história na íntegra.

How I Met Your Mother entra para a história da minha vida como uma das minhas séries preferidas. Não supera Friends, pois para mim, a série dos seis amigos foi a que basicamente me tornou um viciado no mundo das séries, que me fez assistir uma série completa, temporada por temporada. Nenhuma série vai substituir o desejo de frequentar o Central Perk e morar em Nova York como Friends…

Já How I Met Your Mother é aquela série que me contou uma grande história de amor. E vai me lembrar, pelo resto da minha vida que…

A melhor coisa que o ser humano sabe fazer é amar.

Definitivamente.

Que todo mundo possa ter uma vida #Legendary como esses cinco amigos tiveram…