Eu não consigo entender a CW. De verdade. Tá, eu sei que é uma joint-venture da UPN com o The WB, que por sua vez é uma parceria da CBS com a Warner Bros. Entertainment (por isso, CW), mas fora isso… sério, é um canal voltado para o público adolescente e tal, com uma programação dita “alternativa” em alguns casos… mas quem é que faz a pesquisa de mercado para esse canal, pelo amor de Deus?

Explicando: desde a semana passada, os principais canais norte-americanos começaram a anunciar os pilotos encomendados para a próxima temporada de séries (que começa em agosto/setembro de 2013). Esses pilotos recebem o seu respectivo investimento para produção, são apresentados para os executivos e uma audiência selecionada (até mesmo para testar o produto junto ao telespectador), e caso o produto passe por todos esses filtros, aí sim ela vira uma série com pelo menos meia temporada encomendada (e sem garantias de que será exibida). Logo, as produções que vamos comentar a seguir podem nem sequer a ser aprovadas para virar séries da próxima temporada.

Mas… sério, CW? Sério mesmo que o público alvo pode se interessar por… sei lá… romance alienígena?

Começamos por Oxygen, que vai mostrar o “épico” (???) romance entre uma garota humana e um rapaz alienígena. O cara não chega sozinho à Terra. Outros oito de sua espécie, chamada The Orion 9, serão matriculados no Ensino Médio (algo me diz que na mesma escola, é claro), e como não pode ser diferente, chegaram ao nosso mundo dez anos antes, se tornando prisioneiros do malvado governo terreno.

Tá, já vimos algo parecido em Roswell. Mas, de novo, é tão difícil fazer ficção científica na TV, ainda mais com alienígenas. Tudo bem, The Neighbors está aí fazendo sucesso (apesar de… bom, deixa pra lá), mas agora vivemos no tempo do “o alienígena é o novo vampiro”? Mesmo, CW? Sério mesmo que você, amigo leitor, que assiste a CW, está mesmo interessado em ver um The Neighbors encontra Crepúsculo?

Reign
vai transportar o adolescente norte-americano médio para contar a história (fictícia) de Maria Stuart da Escócia, uma das mais famosas rainhas do século 16. O bizarro aqui é que ela se tornou rainha do país com apenas uma semana de idade, após a morte do seu pai, o rei Jaime V. A série vai mostrar a vida de Maria aos 15 anos, noiva do seu futuro marido, Francisco II, da França, e sua vivência com suas amigas da corte, seus inimigos, intrigas sexuais e forças ocultas locais.

Legal, CW… vamos explorar o plot da adolescente que vai contar para as amigas o início de sua vida sexual. Mas, dessa vez, só pra ser diferente, vamos contar isso sob a ótica de uma rainha do século 16! Se o pessoal não está dando audiência para The Carrie Diaries, que se passa na década de 1980, por que seria uma série em formato de aula de história que poderia chamar a atenção do público adolescente?

A mais promissora é mesmo The Hundred, que conta a história de 100 jovens delinquentes que são exilados para uma Terra destruída após uma guerra nuclear, para investigar a possibilidade de recolonizar o planeta. Isso mesmo. Jovens delinquentes. Bom, já que não sabemos se o planeta pode matar todo mundo quando alguém chegar lá, vamos mandar os vândalos. Mesmo assim, é a única que pode render alguma coisa. Mas raspando…

A CW só confirma algo que estou suspeitando desde o começo de 2013: a próxima Fall Season tem tudo para ser uma das piores. E não falo só por causa da CW. A NBC, apesar de trazer Michael J. Fox de volta para a TV, vai bancar uma comédia baseado na vida de (pasmem) Jessica Simpson, e protagonizado por ela! Já estou ansioso por isso… só que não!

Alguém aí pode me explicar o que se passa na CW, por favor?

Com informações do Minha Série