Esta foto está aqui para você ter apenas uma ideia da quantidade de pessoas que disputavam cada centímetro de espaço para acompanhar o painel de Hawaii Five-0 (CBS). Foi impressionante o número de pessoas interessadas em acompanhar esta novidade da CBS, que pela expectativa criada, promete e muito.

A sala, que era de médio porte, ficou absolutamente lotada, prova que o drama policial da CBS já chama a atenção mesmo sem ir ao ar. E a aposta é grande, pois a CBS espera conquistar o público mais jovem com esta produção. Uma coisa que se observou é que, baseado nas perguntas feitas pelos fãs, boa parte da plateia foi sorteada para estar neste painel era formada por fãs de Lost e Battlestar Galactica, uma vez que Daniel Dae Kim e Grace Park estão no elenco destas séries. E isso funcionou.

O evento foi bem bacana, ainda mais que eles colocaram um belo toque de nostalgia, rodando um vídeo do making-of da gravação do tema de abertura da série (vídeo que já está no blog Spin-Off, no post anterior a este). E com uma orquestra impecável. O clima do painel era de pura diversão, tando que, em uma das respostas dadas, Dae Kim diz: “estou realmente feliz por estar em uma série que tem uma música de abertura”.

Os produtores da série já informara, que, diferente da série original, os personagens de Kim e Park terão muito tempo de tela, incluindo episódios que serão focados em seus personagens. Além disso, apesar de ser uma série com histórias começando e terminando no mesmo episódio, os produtores deixaram pistas de que certos elementos da série servirão para evolução da história e de seus personagens.

Um fã mais engraçadalho perguntou para Park: “será que vamos vê-la mais de biquini?”. Ela responde: “não sei se tenho muita escolha… mas o que eu quero ver mesmo é os garotos de biquini”. E todos caem nas gargalhadas. Rapidamente, o produtor executivo da série, Roberto Orci, diz: “no segundo episódio, McGarret sai da água depois de nadar”.

Por fim, as perguntas sobre Lost foram inevitáveis para Dae Kim. E ele diz: “é bom poder falar sobre Lost sem ter a sensação de uma mordaça na minha boca. Todos os elementos de ficção científica foram interessantes, mas os elementos emocionais sempre foram mais importantes… quando os personagens encontraram a paz para si, era o momento que eu mais esperava. Quando Jin e Sun se vão, eu senti como que se os dois fossem obrigados a terem um final trágico. Havia algo de belo e poético sobre eles, entregando suas vidas um para o outro”.

Fonte