harmon_a

Esse aí com cara de largado é Dan Harmon, criador e showrunner (ex, e depois showrunner de novo) de Community. Ele foi o responsável para que a série da NBC tivesse um grupo pequeno, mas de fervorosos fãs da série, que fizeram com que de forma quase inacreditável, a produção alcançasse a quinta temporada. Dan Harmon é, no meu entender, a grande chance da série alcançar o tal #SixSeasonsAndaMovie previsto por Abed. Mesmo que o “a Movie” só apareça depois de um croudfunding dos fãs da série.

Eu sou um dos maiores críticos dos rumos que a quarta temporada de Community tomou. Já no segundo episódio da última temporada, eu estava gritando #VoltaDanHarmon, pois estava achando tudo muito ruim. E foi mesmo. Fãs de Community, não me entendam mal: eu gosto da série. Mas gostar da série não me permite aceitar qualquer porcaria apresentada pelos roteiristas.

Alguns episódios simplesmente não me fizeram rir, e isso é o mínimo que peço de uma série de comédia, seja ela qual for. Não me interessa se eles exploraram temas que não alcançam a minha inteligência (nunca neguei que eu era burro que nem um burro). Mas mesmo para os meus amigos PNC, não teve graça. O episódio de referência ao Doctor Who (e uma convenção em torno de uma suposta série similar) é um exemplo claro disso.

Eu não me importo nenhum pouco com o fato deles tentarem fazer tal referência. Se o episodio não tem graça alguma, ele fracassou. Ponto. Comédia precisa fazer rir. E até o episódio 8 da quarta temporada, Community foi tudo, menos uma comédia. Aliás, foi uma comédia de erros, isso sim.

Os roteiristas só acharam o rumo da temporada a partir do episódio 9, quando fez a série toda brincar de “Muppet Show”, com um episódio inteiro de marionetes. Aquela altura do campeonato, eu já dava a série como morta. Não acreditava na sua renovação, e até agora fico pasmo como a NBC renovou a série na sua pior temporada desde a primeira.

Mas há uma luz no fim do túnel: a volta de Dan Harmon.

Dan sabia fazer com que esses personagens e seus argumentos trabalhassem com sinergia, harmonizando as situações apresentadas, e principalmente: não deixando os personagens totalmente inúteis. Tudo bem, ninguém sentia falta alguma de Pierce Hawthorne. Porém, os roteiristas da quarta temporada não foram competentes o suficiente para dar algo que preste para o personagem.

Para Shirley, foi a mesma coisa. Em um episódio (dia de Ação de Graças), ela era o centro das atenções. Em outros, praticamente não apareceu. Com Dan Harmon, esses problemas não existiam.

Não é simplesmente colocar argumentos absurdos na tela. Dan fazia com que esses mesmos argumentos fossem plausíveis, e principalmente, engraçados. Fazer rir pela inteligência e cretinice que eram marcas registradas de um roteiro ágil, moderno, marcante.

Eu levei uma temporada e meia para me convencer que Community era esse tipo de série mais bem elaborada do que as demais. E depois disso, eu não abandonei a série. Pensei seriamente em fazer isso nessa quarta temporada, mas com a volta de Dan Harmon, eu acredito que dias melhores virão. Finalmente o nosso amigo Bob Greenblatt começou a tomar decisões inteligentes. Trocar Chevy Chase por Dan Harmon é uma dessas decisões sábias.