cinemas

 

Apesar de pregarem o fim do mundo por causa da pirataria, os cinemas norte-americanos registraram novo recorde de bilheterias em 2016.

As salas norte-americanas encerraram 2016 com uma receita de US$ 11.4 bilhões arrecadados nas bilheterias, superando os US$ 11.1 bilhões registrados em 2015. Pipocas e bebidas ficam de fora dessa conta.

Outro detalhe curioso é que o aumento não se obteve com um aumento de espectadores nas salas, mas sim com o aumento do preço dos ingressos. Os analistas não esperavam uma quebra de recorde, já que em 2016 filmes de franquias midiáticas como James Bond e Velozes e Furiosos ficaram de fora.

Sobre os filmes que mais renderam, no topo temos Procurando Dory (US$ 486.3 milhões), mostrando a força do pequeno Nemo dez anos depois do filme original. A Disney é a grande vencedora, com seis filmes entre os 10 mais lucrativos de 2016, incluindo Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força (que estreou no final de 2015) e Rogue One: Uma História Star Wars (que estreou no final de 2016).

Com isso, cai por terra discurso que a pirataria é uma grande ameaça aos cinemas. Os estúdios podem se concentrar em oferecer serviços mais atraentes e de qualidade aos usuários que querem pagar.