Não que isso vai mudar a história da televisão, mas em um momento tão efervescente entre Charlie Sheen e Chuck Lorre, qualquer decisão tomada de forma insensata pode resultar em mais fogo nesse incêndio. Com o clima quente, e depois de tomar tanta porrada do Sr. Sheen, Chuck Lorre decidiu “dar um tempo” em uma de suas mais emblemáticas piadas: os cartões de textos nos finais de episódio de suas séries (The Big Bang Theory, Two And a Half Men e Mike & Molly).

O episódio de Mike & Molly dessa semana registrou a exibição do cartão de número 333, e será o último “até que as coisas se esfriem um pouco”, palavras do próprio Lorre. Porém, como o cartão foi exibido com um CENSURADO, foi feita a transcrição na íntegra do cartão. E você vê abaixo:

“Foi mais divertido escrever essas coisas quando eu estava mais ou menos certo que ninguém estava lendo isso aqui. E esse não é o caso. Hoje em dia, parece que cada cartão está sendo analisado e criticado por executivos do canal, departamentos jurídicos corporativos, departamentos de publicidade, jornalistas e blogueiros de tabloides televisivos. Acreditem ou não, minhas reflexões foram aplaudidas e criticadas pela TV Guide! Mas, ultimamente, a coisa está ficando fora de mão. E é por isso que eu decidi fazer uma pausa de algumas semanas. Deixar as coisas esfriarem um pouco. Em vez de fazer redações curtas que podem chatear pessoas, eu decidi usar o meu único segundo meu em uma rede de TV para fazer algo mais simples e descomplicado. A partir desse cartão, eu vou mostrar uma foto de uma parte do meu corpo, que é totalmente inócuo. Não vou mais partilhar aqui alguns problemas que se passam pela minha mente. Agora, vou partilhar um pedaço real de Chuck, que será incapaz de ofender alguém. Vocês sabem, um pé, uma mão, ou talvez um dedo do pé. Então, com isso em mente…”

Fonte e Fonte