leonardo-dicaprio-oscar-2016-01

Finalmente, menino Leo. Até que enfim! Aleluia!

Um meme morreu, mas finalmente uma justiça foi estabelecida nos Academy Awards. A vitória de Leonardo DiCaprio como Melhor Ator pelo filme O Regresso é o reconhecimento de 20 anos de um talento que nos é ofertado em personagens bem construídos, com uma capacidade de interpretação impressionante. E, nesse caso em particular, uma entrega acima da média.

Ok, eu torcia o nariz para DiCaprio. Mas acho que a minha birra na época era muito mais pelo filme em questão do que por causa do ator. Eu basicamente não consigo mais ver o filme Titanic (1997), pois em um curto espaço de tempo eu fui obrigado a ver esse filme seis ou sete vezes. Duas foram por vontade própria, mas outras cinco foram por pura obra do acaso, em situações onde não pude escapar. Mas isso é uma outra história.

Filmes como Romeu + Julieta (1996) e O Homem da Máscara de Ferro (1998) me ajudaram na desintoxicação de Titanic, e ‘limparam’ a imagem de DiCaprio para com a minha pessoa. Agora, Prenda-me Se For Capaz (2002) e principalmente Gangues de Nova Iorque (2002) me convenceram definitivamente o quanto esse cara merecia ser reconhecido pelo talento que ele era. Pela escolha de boas histórias, de bons papeis, entregando excelentes atuações.

Nem cito o caso da sua primeira indicação ao Oscar em 1994 como Melhor Ator Coadjuvante por Gilbert Grape – Aprendiz de Sonhador, pois aqui eu entendo que não havia a menor chance dele vencer. Se a primeira chance real de DiCaprio vencer um Oscar foi com O Aviador (2004, no Oscar de 2005), talvez essa derrota tenha sido mais sentida do que ele perder a Giselle Bündchen para o Tom Brady. Como Howard Hughes, ele estava brilhante, memorável, espetacular.

leo-dicaprio-oscar-meme-01

Aí vem Diamantes de Sangue (2006, no Oscar de 2007). Filme difícil, uma história pesada, com muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Talvez isso até tenha atrapalhado DiCaprio, dispersando os votantes de sua boa atuação naquele filme. De todas as derrotas, considero essa a menos sentida. Talvez não fosse para ser.

No meio do caminho, o ator seguiu fazendo trabalho muito interessantes: Os Infiltrados (2006), Rede de Mentiras (2008), Inception – A Origem (2010), J. Edgar (2011), Django Livre (2012) e O Grande Gatsby (2013). Até chegarmos em O Lobo de Wall Street (2013, no Oscar de 2014), onde DiCaprio está simplesmente possuído. Aqui eu realmente achei que poderia ser um Oscar com certa facilidade para o ator, que fez um impactante Jordan Belfort.

Bem sabemos que nada disso aconteceu. Mas já era sabido também que o Oscar estava muito próximo. Talvez faltasse aquele último esforço, aquele sacrifício extremo. Mais ou menos a “regra Tom Hanks” para ganhar um Oscar de Melhor Ator.

E, com isso, chegamos em O Regresso (2015, no Oscar 2016). DiCarpio só se ferra nesse filme: é atacado por um urso, é abandonado enterrado vivo, tem seu corpo costurado, desce em corredeiras sem rumo, passa fome e frio, é obrigado a comer carne crua, tem seu filho morto e, depois de tudo isso, ainda tem que entrar no tiro, porrada e bomba contra o cara que abandonou ele semi morto. É muita coisa para um personagem só.

Me entendam, crianças. Não estou aqui menosprezando nem a história de Hugh Glass. Pelo contrário. Acho que talvez este nem é o melhor personagem que DiCaprio fez em sua carreira, mas a sua entrega ao personagem foi simplesmente absurda, gigante, quase sem limites. E essa entrega já foi reconhecida pela Academia de Cinema de Hollywood em outras oportunidades. Além disso, não entendo (de verdade) onde os outros indicados na categoria fizeram melhor do que o menino Leo para vencer o prêmio.

CcZDxmSWoAEjVvx

Logo… até que enfim, DiCaprio! Acabou a zica! Pode respirar aliviado, comemorar, e até pensar em fazer coisas de gente normal, como comer hambúrguer no McDonald’s ou apresentar o Saturday Night Live. Morreu um meme, sim. É quase o Corinthians ganhando a Libertadores. Mas ao menos temos um monte de gente hoje com um sorriso no rosto, e o mundo começando a voltar ao seu eixo.

Agora, me apresentem o próximo meme na minha mesa em 15 minutos. Confio em você, Internet! :)