american housewife

 

Mais uma série estreante que você tenta sobreviver. Não se ri de nada, e não diz a que veio. American Housewife (ABC) se perde entre as comédias do canal do alfabeto.

A série mostra a vida de uma mãe e esposa qualquer, que tenta conviver com outras esposas e seus filhos mimados em Westport, Connecticut. É uma espécie de visão de mulher comum do universo do Real Housewives, e como isso afeta a sua vida e o desenvolvimento dos seus filhos.

 

 

Mas isso é legal?

 

Por mais que eu me esforce em enxergar as ironias da vida, American Housewife é previsível e beira ao descartável.

As piadas são forçadas, as situações não são engraçadas, e você fica se perguntando sobre a real necessidade da existência da série.

Algumas eu compreendo. O fim dos esteriótipos do universo feminino, onde algumas mulheres se valem do dinheiro e da vaidade para ridicularizar as mulheres comuns.

Além disso, a desmistificação do império da beleza para as mulheres de meia idade, em detrimento à boa educação dos filhos.

Eu entendi tudo isso.

 

143086_7385_1-h_2016

 

Mas American Housewife um texto fraco, insosso e previsível. As situações são meio sonolentas e poucas coisas me convidam a seguir na série.

Os mais exigentes não vão gostar de American Housewife, e mesmo estando em um canal que vai muito bem com as comédias familiares, tem sérios riscos de cancelamento.

Meu conselho? Procure não se apegar. Não vale esse esforço todo. Veja por curiosidade alguns episódios após o eventual anúncio de renovação.

Algo que, com toda a honestidade, acho difícil de acontecer.